Ataque ao ônibus: Bahia lamenta indiciamento por lesão corporal leve

O inquérito foi concluído pela 6ª Delegacia Territorial de Brotas e encaminhada ao Tribunal de Justiça.

Responsáveis pelo ataque ao ônibus do Esporte Clube Bahia, em fevereiro deste ano, quatro homens foram indiciados pela Polícia Civil (PC) por lesão corporal leve e crime contra a incolumidade pública (expor alguém ou algum grupo a perigo ou risco), na modalidade explosão. Todos eles são integrantes da torcida uniformizada Bamor e vão responder em liberdade. A pena de detenção de três meses a um ano para lesão corporal leve. Já crimes contra a incolumidade pública podem ser punidos com reclusão de três a seis anos, além de multa. A informação foi divulgada inicialmente pelo site “ge”.

 

O inquérito foi concluído pela 6ª Delegacia Territorial de Brotas e encaminhada ao Tribunal de Justiça. O Ministério Público, porém, solicitou novas diligências à Polícia Civil para seguir com a investigação. Os indiciados pelo ataque são Marcelino Ferreira Barreto Neto, Hugo Oliveira da Silva Santos, Marcelo Reis dos Santos Júnior e Jarderson Santa Bispo.

O Esporte Clube Bahia se pronunciou no Twitter e lamentou que os suspeitos tenham sido indiciados por lesão corporal leve. “Atenção, Brasil: sabe o atentado ao nosso ônibus, que quase cegou Danilo Fernandes e poderia ter matado pessoas? Após 4 meses de inquérito e promessa de rigor das autoridades, a Polícia da Bahia encerrou o caso como LESÃO CORPORAL LEVE. Quando morrer alguém, não adiantará lamentar”, postou o Tricolor.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*