Santos não se acerta com Rodriguinho e encerra as negociações

Rodriguinho tem vínculo com o Bahia até o dia 31 de dezembro

Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press

Após duas semanas negociando e quase próximo de um acerto, Santos e Rodriguinho não chegaram a um entendimento, e as negociações foram encerradas. Segundo informação do “ge”, o atleta já havia topado abaixar bastante seu salário em relação ao que ganhava no Bahia, mas a proposta apresentada pelo Peixe não foi tão sedutora. Além disso, o vínculo oferecido seria de apenas um ano, com possibilidade de renovação por mais um. Rodriguinho gostaria de acertar um contrato já garantido por duas temporadas.

 

Rodriguinho tem vínculo com o Bahia até o dia 31 de dezembro e com o rebaixamento para Série B, não irá permanecer. Com outras propostas na mão, a tendência é que o jogador defina o seu futuro já na próxima semana.

Natural de Natal, Rodrigo Eduardo Costa Marinho e surgiu nas divisões de base do ABC, onde se profissionalizou. Acumula passagens ainda por Bragantino, América-MG, Grêmio, Al Sharjah dos Emirados Árabes Unidos, Pyramids FC do Egito, mas foi no Corinthians onde teve seu melhor momento na carreira. Após primeira passagem apagada pelo Timão em 2013, retornou em 2015 sendo peça importante na conquista dos títulos do Campeonato Brasileiro de 2015 e 2017.

Ficou no Parque São Jorge até 2018, quando foi negociado com o clube do Egito, mas voltou ao futebol brasileiro em 2019 contratado pelo Cruzeiro, para suprir a saída de Arrascaeta. Rodriguinho marcou 8 gols nos primeiros 22 jogos da temporada. Sagrou-se campeão mineiro e depois se lesionou. Recuperado, disputou duas partidas em 2020. Por conta de salários atrasados, chegou a um acordo com a Raposa e rescindiu seu contrato acertando em seguida com o Bahia, atuando por duas temporadas, atuando em 93 jogos, com 19 gols e 9 assistências.

Deixe seu comentário!

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Fábio Mota projeta manutenção de Alex Brasil no Vitória
  2. Bellintani diz que está refletindo sobre clube-empresa, mas acredita que não é o momento

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*