Bahia vai participar do projeto do observatório da discriminação racial

Em informe publicado no site oficial nesta terça-feira, o Esporte Clube Bahia comunicou que as ações do Esquadrão de Aço em homenagem ao Novembro Negro, iniciadas no início do mês, renderam um convite de parceria por parte do Observatório da Discriminação Racial no Futebol.

Sediado em Porto Alegre, o Observatório é responsável pela elaboração do Relatório Anual da Discriminação, que mapeia os casos de preconceito – inclusive de outras naturezas, além do racismo – nos diferentes esportes do Brasil e também envolvendo atletas brasileiros no exterior.

No ano passado, por exemplo, o relatório foi lançado em solenidade no Ministério do Esporte, em Brasília.

A intenção é realizar a edição 2017, que está sendo finalizada em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), aqui em Salvador, ao final do Campeonato Brasileiro.



“Infelizmente alguns números já são definitivos e constatamos que a incidência dos casos de racismo aumentou em relação ao ano anterior, assim como as denúncias de machismo”, afirma Marcelo Carvalho, diretor executivo do Observatório, que fala mais sobre a iniciativa:

“Utilizamos a força do esporte mais popular do Brasil para debater a discriminação racial e alertar que condutas preconceituosas e atitudes racistas nos estádios se constituem em sério retrocesso à democratização das relações sociais no esporte e à construção de uma sociedade mais igualitária”.

Outras ideias da parceria com o Tricolor são o desenvolvimento de produtos ligados à campanha, aproveitando que o clube agora possui marca própria de uniformes (a Esquadrão), e a organização de um seminário internacional sobre racismo no futebol e formas de combate.

Veja também

Deixe seu comentário