Bahia encara desafio contra o vice-líder

De todos os jogos disputados pelo Bahia na largada do Campeonato Baiano deste ano, o de amanhã à tarde, contra o Fluminense, no estádio Jóia da Princesa, será sem dúvida o mais difícil. O clássico no interior do Estado vale para o time do técnico Alexandre Gallo a vice-liderança da fase de classificação, contra um adversário motivado, com três triunfos na competição, e tradicionalmente difícil jogando em casa, em Feira de Santana.

Nem mesmo a estreia, no empate de 1 a 1 em Itabuna, foi tão difícil quanto o clássico de amanhã em Feira de Santana. No Luís Viana Filho o time tinha as dificuldades naturais da primeira partida, diante de um adversário também em fase de entrosamento, e sem os investimentos do Fluminense, que faz amanhã à tarde a sua primeira partida em casa, com o apoio da sua fanática torcida no estádio Jóia da Princesa.

Alexandre Gallo encerrou os trabalhos do Bahia com um treino técnico-tático, realizado ontem à tarde no Centro de Treinamentos do Fazendão. Ele mantém a base do time que venceu o Camaçari por 3 a 1, apenas com a entrada de Rogério na zaga, na vaga de Alison, que cumpre suspensão automática pela expulsão na última partida no estádio Armando Oliveira, no Pólo Petroquímico.

O treinador ganhou a opção da estreia do zagueiro Rogério Corrêa, que chegou do futebol ucraniano e está regularizado. O nome de Rogério, que estava no Illyich, foi publicado na quinta-feira no BID da CBF, regularizando o jogador do Bahia para a disputa do Campeonato Baiano. Mas Gallo preferiu optar pelo outro Rogério, o baiano Rogério Sodré, para a vaga de Alison na equipe.

O volante Thiago Carpini foi liberado pelo chefe do departamento médico do clube, Dr. Marcos Lopes, para voltar aos treinamentos físicos no Fazendão. O jogador sofreu uma fratura no osso rádio do braço direito, no último dia 14 e passou por uma cirurgia dois dias depois. Mesmo com uma tala imobilizando o local, Thiago deu várias voltas ao redor do gramado, mas só deve voltar aos campos em abril.

Vampeta deixa Salvador sem falar sobre a briga

A briga entre o ex-jogador Marcos Vampeta e o goleiro Marcelo, na madrugada de quinta-feira, na recepção onde estão morando alguns jogadores do Bahia, no Bairro de Patamares, só será mesmo esclarecida pelo inquérito policial instaurado na 9ª Delegacia de Polícia. Vampeta deixou Salvador para acertar contrato, voltar a jogar futebol pelo Operário de Campo Grande, e Marcelo continua trabalhando normalmente no Fazendão, mas não fala sobre o assunto. Com informações da Tribuna da Bahia

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*