Rodrigo Pastana vai analisar elenco do Vitória antes de buscar reforços

"Temos que olhar o mercado. Não temos janela, vamos usar o benefício que a gente tem de alguma forma"

Foto: Divulgação/ECV

O Esporte Clube Vitória apresentou na última terça-feira o seu novo diretor de futebol, Rodrigo Pastana, com passagem recente pelo Cruzeiro. O executivo chega com o desafio de trabalhar com um elenco cheio e em baixa. O clube contratou 25 jogadores para a temporada e vai se desfazer de algumas peças. Além disso, segue no mercado em busca de reforços. Somente para a lateral-esquerda, foram contratados quatro jogadores: Salomão, Vicente, Guilherme Lazaroni e Sanchez (recém-chegado). O dirigente falou sobre a possibilidade de chegar mais jogadores.

 

“Temos que olhar o mercado. Não temos janela, vamos usar o benefício que a gente tem de alguma forma. Temos profissionais capacitados para nos dar um diagnóstico. Vamos analisar pelo menos esses três dias de treino para ter novas reuniões para que a gente possa, sim, alinhar se há mesmo a necessidade, qual ela é, como nós vamos resolver”, afirma o dirigente.

Pastana também analisou o trabalho do Vitória no início da temporada, quando chegou a contratar 14 jogadores antes da definição do novo treinador. A decisão aconteceu porque o clube foi punido pela Fifa e tinha que montar o elenco antes de ficar proibido de registrar novos jogadores.

“Nós tínhamos 14 dias para contratar. Não tínhamos treinador definido e modelo de jogo definido. E contratar atletas em um espaço tão grande de características é complicado. O Dado, quando chegou, provavelmente falou: “Opa, aqui tem muita característica diferente”. Não funciona assim. Você tem que montar três, quatro times. Vendo como gestor, acho que esse foi um erro: contratar tanta gente com diferentes perfis. É muito complicado montar time sem o cabeça da história, que é o treinador. É o cara que vai gerir modelo, sistema. Eu acho que, entendendo o contexto hoje do Vitória, houve erros. Mas aconteceram por demandas administrativas. Acho que agora a gente tem um pouco mais de caminhos, ferramentas, para que, enfim, acerte. Hoje a gente tem muita ferramenta para estudar melhor elenco, quem são os 28, 30 [jogadores] que podemos contar. É isso que vamos fazer. É trabalhar muito para reconquistar a confiança dos treinadores.”

 

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário