Vitória x Vasco! Jogo das quartas de finais

O Vitória manteve a fama de mau dentro do Barradão, aplicou outra goleada, agora no Goiás e segue olhando de frente e numa boa a fase seguinte da Copa do Brasil e o melhor, em condições de já pensar no seu próximo adversário, não, não me refiro ao Goiás pela Copa ou o pré-abatido e defumado Camaçari pelo baiano, no próximo domingo, e sim o Vasco da Gama, que seguramente será o vencedor do confronto contra o Corinthians do Paraná (antigo J. Malucelli) que se enfrentam no próximo dia 21 no Rio de Janeiro.

Ainda que a imprevisibilidade e a esquisitice do futebol ainda existam, soa como algo impensável, sequer, imaginar um Vitória goleado pelo Goiás, pior ainda, o time camaleão paranaense, derrotar o Vasco da Gama no Rio de Janeiro, por dois gols de diferença! No primeiro jogo, o time carioca venceu por 1 a 0, em Curitiba. Se o jogo ainda não está marcado, certamente está desenhado e colorido com os símbolos rubro-negros e cruzmaltino.

O problema é quando tivemos confronto entre Vitória e Vasco, num passado não tão distante, por essa mesma competição, os cariocas não deram a menor colher de chá ao Vitória, nem aqui ou em São Januário, aliás, aqueles dois jogos (4×0 – 1×1) são de péssimas lembranças para alguns torcedores rubro-negros, ele entre eles, está o amigo Enéas Barreto, que confessa e não nega que tem pesadelo como Neto Baiano até nos dias de hoje. Portanto, cegou à hora de devolver a derrota e reviver o sonho rubro-negro

Parabéns ao Ricardo Silva, que mesmo vencendo um jogo que parecia difícil até os 23 minutos do segundo tempo, fez mudanças acertadas e levou o time para o triunfo e meteu o pé dentro das quartas de final de uma competição que, além de trazer visibilidade para o clube, trás também ganhos financeiros. Ainda assim, o santo de casa, sempre tratado como remédio caseiro, daqueles que encontramos em hortas de fundo de quintal, se manteve humilde e agradecido após o jogo, e nem de longe insinuou a crocodilagem da qual foi vitima há pouco tempo atrás, pela diretória rubro-negra, no episodio PC Carpegiani.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*