Fundo vai comprar atletas do Bahia e do Vitória

O Jornal da Metrópole publica, na edição desta sexta-feira, alguns poucos detalhes acerca da parceria entre o Bahia, Vitória e o Banco de investimento (BMG). A principio não vejo qualquer indício de irregularidade na transação que, aliás, já é feita com vários clubes. Os antigos jogadores, hoje simples prestadores de serviços de temporada, servem como garantia para pagamentos de empréstimos contraídos com a instituição financeira.

Quanto à associação do Banco Mineiro com o mensalão, não pode assustar o torcedor, especialmente, o torcedor do Bahia, que ainda em 2007 viu o nome do clube atirado na lama, com o envolvimento de um ex-presidente e ainda hoje influente conselheiro do clube, no chamado escândalo do Jaleco Branco. Confira.

O BMG, HOJE principal investidor do futebol mineiro, está estendendo seus braços para a Bahia. Marcado nos últimos anos pelo escândalo do mensalão, o banco fechou na semana passada patrocínio com o Bahia e segue, nos bastidores, as negociações para investir no Vitória. No Rubro-negro, onde as negociações foram iniciadas por interesse de Vanderlei Luxemburgo, o banco intermediou a transferência do lateral-esquerdo Maurim, que estava no Rio Branco de São Paulo.

Mas a parceria proposta pelo BMG em patrocinar os times, incluindo aí o Bahia e o Vitória, vai muito além da ‘boa intenção’ em incentivar o esporte. Na verdade, é mais um meio de investimento, que pode enfraquecer as equipes.

Traduzindo: os jogadores deixam de pertencer aos clubes e passam a pertencer ao banco como moeda de troca pelos empréstimos realizados.

Fundo de investimento

De acordo com a revista Placar, o grupo lançou recentemente um fundo de investimento de jogadores chamado Soccer BR1. Com ele, o BMG auxilia clubes na contratação de jogadores, negocia patrocínios com a compra de parte dos direitos federativos de alguns atletas. Como também, os empréstimos financeiros, como os que o Bahia fez nos dois últimos meses para quitar os salários atrasados, são negociados com a contrapartida de o clube oferecer jogadores em troca.

Força em Minas Gerais

Em Minas Gerais, o BMG é absoluto. Dos 12 times que disputaram o campeonato estadual, seis estamparam a marca do banco. Além disso, o ex-presidente do Atlético Mineiro e presidente do banco, Ricardo Annes Guimarães, também patrocinou a Federação Mineira de Futebol. O BMG também patrocina o Atlético Goianiense, o Coritiba, o Santa Cruz, e o Sport. É a empresa que tem parceria com o maior número de clubes no Brasil. Matéria do Jornal da Metrópole desta sexta-feira

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*