Os melhores se enfrentam pela 17º rodada do baiano

reinaldo do bahiaOito clubes tentarão driblar o ostracismo a partir de 12 de abril. O estadual reserva apenas quatro vagas na sua fase decisiva – e duas na nova Série D do Brasileirão. Com o distanciamento de Vitória e Bahia, disputa começa a ficar restrita a três equipes: Fluminense, Atlético e Primeiro Passo. Acompanhando a distância, o Itabuna só desponta como ameaça se arrancar nas últimas seis partidas desta fase. Ou em caso de tropeço dos adversários direitos, o que pode acontecer hoje á noite. A peculiaridade da 17º rodada do baiano é colocar frente a frente os membros do G-4. Semifinal antecipada, não fosse a inversão dos confrontos.

Líder, o rubro-negro encara o terceiro colocado Fluminense no Barradão. Em uma hipotética semifinal, enfrentaria o Atlético, adversário do Bahia, na cidade de Alagoinhas. A rodada serve de parâmetro. Os melhores times do interior tem condições de medir forças com a dupla da capital? Argumentos não faltam.

Além do Bahia, só o touro do sertão venceu o Vitória no estadual 2009,. No Jóia da Princesa, dia 4 de Fevereiro, Dudu fez o único gol do jogo. “Temos que continuar jogando com seriedade. Enfrentar o Vitória é sempre complicado, mas disputamos o mesmo campeonato, temos chances” defende o técnico Nazareno Silva, nove meses à frente do Fluminense.

Olho vivo ainda com o Atlético, há dez rodadas invictas – seis vitórias e quatro empates. O Carcará aprendeu com a goleada de 6 x 0, justo contra o Bahia e não perde desde então. E lá se vão 54 dias de tranqüilidade para o técnico Moisés Alves

Com 18 pontos a disputar, é difícil acreditar que o sétimo colocado, Colo-Colo, 12 atrás do Atlético, mantenha-se na briga pela semifinal. O Primeiro Passo, pode sim continua na disputa – e poderia até estar no G-4 se não tivesse perdido três jogos seguidos entre a 13º rodada e a 15º.

O técnico Ferreira pagou a conta e deixou o cargo. Sérgio Araújo dá seqüência ao sonho de segundo ano consecutivo nas finais. O páreo do Itabuna é bem mais complicado. Os 11 gols de Neto Berola garantem o sexto lugar, mas os números comprovam a oscilação da equipe no estadual. O clube venceu seis, mais perdeu outras sete. Assim, tirar sete pontos e entrar no quarteto de frente parece “missão impossível”

Bahia e outros clubes querem reconhecer títulos

Dirigentes de seis times que, juntos, conquistaram 14 títulos nacionais entre os anos de 1959 e 1970 (Palmeiras, Santos, Fluminense, Cruzeiro, Botafogo e Bahia) se reuniram ontem. Eles apresentaram, um dossiê, que será enviado à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), para tentar unificar o título de campeão brasileiro.

A competição, entre 1959 e 1968, primeiro chamava-se Taça Brasil,e depois virou Taça de Prata, nos anos de 1969 e 1970. O problema é que a A CBF (Confederação Brasileira de Futebol), só reconhece os campeões a partir de 1971, quando o mesmo torneio passou a chamar-se Campeonato Brasileiro.

A intenção dos clubes, portanto, é que a entidade considere que as conquistas da Taça Brasil (1959 a 1968) e do Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967 a 1970) tenham o mesmo valor do atual Campeonato Brasileiro, que teve início apenas em 1971. Com informações de Eduardo Rocha, do Correio com complemento da Tribuna Online

Confira os jogos do Baiano
Quarta-feira

20h30
Vitória x Fluminense de Feira
Itabuna x Madre de Deus
Feirense x Vitória da Conquista
Ipitanga x Camaçari
Poções x Colo Colo
20h40
Atlético x Bahia

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*