Tragédia da Fonte Nova tirou caso Cléber da mídia

Na primeira semana após o AVC, a família de Cléber recebeu todo o tipo de manifestação de apoio e solidariedade por parte de jogadores, dirigentes e torcedores, tanto do Bahia, quanto do Vitória e dos outros clubes por onde o jogador passou, como Portuguesa e XV de Campo Bom.

No dia 25 de novembro, quando Cléber já completava 33 dias internado, os jogadores do Bahia pensavam em homenagear o amigo, oferecendo-lhe a ele a classificação para a Série B. A idéia era exibir uma faixa e camisas estampadas com a imagem do meia, ao final da partida contra o Vila Nova, a última da equipe na Fonte Nova.

Mas os eventos que se sucederam ao final do jogo impediram a homenagem. A torcida invadiu o gramado e os mais eufóricos arrancaram as vestes dos jogadores como uma espécie de souvenir. Alguns atletas deixaram o gramado da Fonte nova praticamente nus.

Mas o pior ocorreu cinco minutos a antes do apito final, quando uma parte da arquibancada cedeu, matando sete torcedores. A partir daí, a tragédia coletiva acabou ofuscando o drama familiar.

A imprensa não tocou mais no assunto e os e-mails começaram a ficar cada vez mais escassos. Assentada a poeira, Marguit Regina, mulher de Cléber quer a corrente solidária de volta. “Nem pude ler todos os e-mails que já me mandaram, mas quero que continuem mandando porque sabemos como essa energia é importante para a recuperação dele”, justifica.

Os interessados podem enviar mensagens para uma conta de e-mail aberta especialmente com esta finalidade: [email protected]

Dos jogadores do Bahia, três visitaram Cléber no Hospital: o capitão Emerson Cris, o goleiro Márcio Angonese, que também é gaúcho e já conhecia Cléber antes de jogarem juntos no time tricolor, e o zagueiro Alison, companheiro de quarto de Cleber na concentração e o primeiro a socorrê-lo no dia do derrame.

“O [técnico] Arturzinho nunca deixou de nos telefonar, mesmo depois de sair do clube”, arremata o pai de Cléber, Paulo Frolich. “E a diretoria do Bahia foi impecável. Até agora nós só gastamos dinheiro com transporte e alimentação para visitar o Cléber no Hospital porque quisemos. Se pedíssemos, temos certeza que eles nos dariam isso também”, elogia.
Estado de saúde de Cléber é crítico – 13/12/2007 – 20:00
O quadro clínico do jogador de futebol Cléber piorou. Segundo o boletim médico divulgado pelo Hospital Espanhol, onde ele está internado, em Salvador, o estado do atleta é grave devido a uma piora da infecção do sistema nervoso. Cléber está na UTI e voltou a precisar de aparelhos para respirar. Ele está inconsciente e não responde a estímulos. Cléber tem 31 anos e fez parte do elenco do Bahia deste ano. Ele está internado desde o dia 22 de outubro, quando sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), na cidade de Natal, durante uma das viagens do time para disputar a Série C do Campeonato Brasileiro.
Luiz Antônio Abdias
Foto – Familia de Cléber

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*