Paulo Carneiro rebate acusações de Preto Casagrande e diz que ex-jogador quer polemizar

Ex-presidente do Leão da Barra negou indícios comentados por Preto Casagrande

Foto - Felipe Iruatã / Ag. A Tarde.

Após deixar o comando da presidência do Vitória em maio deste ano, Paulo Carneiro segue envolvido em polêmicas fora do clube. Desta vez, ele negou envolvimento nas acusações feitas pelo ex-jogador Preto Casagrande. Em entrevista ao Bargunça Podcast, o ex-meio-campista do clube relatou que o dirigente deixou de repassar seu percentual da transferência para o português na temporada 2000.

 

“Os fatos que ele acusa são graves. Ele chegou ao Vitória de 1996, quando eu o trouxe muito jovem do Rio de Janeiro por indicação de Artuzinho, e ficou até 2000 quando vendi junto com mais outros dois jogadores, Rubem e Evandro, ao Vitória de Guimarães. Quem fez o negócio foi um empresário. Sempre quando se vende um jogador, na maioria das vezes, o empresário é quem traz o negócio. Esse empresário era do Rio de Janeiro e fizemos negócio. Ele fala que tinha 50%, mas eu confesso que nem me lembro, porque esse assunto tem 22 anos”, relatou o ex-gestor entrevista ao Bahia Notícias.

Em outro depoimento, PC garantiu que irá tomar a atitude de processas Preto Casagrande pelos comunicados polêmicos. “Estou processando ele criminalmente e com ação de danos morais para que ele tenha a oportunidade na Justiça de provar o que falou”, enfatizou.

Se de um lado, Paulo está afastado do futebol, Preto está na equipe de futevôlei do Vitória. O grupo disputa a Liga Nacional de Futevôlei, onde cada equipe tem, por obrigatoriedade, ter um ex-jogador de futebol profissional no elenco.

Autor(a)

Pedro Moraes

Jornalista, formado pela Universidade Salvador (Unifacs). Possui passagens em vários ramos da comunicação, com destaques para impresso, sites e agências de Salvador e São Paulo. Contato: pedrohmoraessjorn@gmail.com

Deixe seu comentário