Após ter contrato encerrado, Luan Silva aciona Palmeiras na Justiça

Emprestado pelo Vitória desde 2019, o jogador vinha tendo seu vínculo renovado

Emprestado pelo Esporte Clube Vitória em 2019, o atacante Luan Silva não conseguiu despontar no Palmeiras por conta das lesões. Nos últimos anos, o jogador sofreu com as sucessivas intervenções cirúrgicas e acabou disputando apenas um jogo no Verdão. Ainda assim, o clube paulista comprou parte do seu passe, mas desistiu de adquirir os direitos federativos. Como ainda se recupera da lesão, Luan vinha tendo seu contrato renovado todo mês para seguir utilizando as instalações do Palmeiras, contudo, há dois meses, ele teve seu contrato encerrado.

 

Dispensado pelo Palmeiras, Luan Silva tinha retorno previsto ao Vitória, mas o clube baiano só aceita receber o jogador quando ele tiver completamente curado. Além disso, o atacante entrou com uma ação judicial contra o Verdão exigindo reintegração ao clube. A liminar não concedida em primeira instância, mas o processo segue em curso. O empresário revelou que o atleta está arcando com todos os custos da cirurgia e não está recebendo salário.

”Entramos com processo contra o Palmeiras. O Luan está arcando com todos os custos de cirurgia, não está recebendo salário. Cobramos reintegração de Luan. Luan tem que ser reintegrado ao Palmeiras”, disse Luciano Cortizo, empresário próximo da família de Luan, ao ge.

Nascido em Salvador, Luan Silva dos Santos é cria das divisões de base do Esporte Clube Vitória. O atacante se destacou na Copa São Paulo de 2018, e chegou a ser monitorado por clubes europeus. Promovido aos profissionais do Leão, nunca conseguiu se firmar devido as sucessivas lesões. Em 2019, aos 20 anos, Luan foi emprestado com opção de compra no valor fixado de 3,5 milhões de euros por 50% dos direitos econômicos.

O Vitória, que tinha 75% dos direitos do jogador, ficaria com 25% para uma futura venda. Os outros 25% pertencem ao atleta. No início de 2021, o Palmeiras adquiriu 15% dos direitos econômicos de Luan Silva, e tinha a possibilidade de comprar mais 35% ao fim do ano para ficar com o atleta em definitivo. Porém, o atleta passou praticamente todo o tempo no DM e fez apenas um jogo em três anos no Verdão.

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário