Bellintani é cotado para vice-governador na chapa de ACM Neto

O insucesso travou o movimento político de Bellintani, hoje cobrado a recolocar o clube na Série A

Guilherme Bellintani teve seu nome cogitado para Prefeitura de Salvador nas últimas eleições, sendo alvo de interesse tanto do grupo democrata, quanto da oposição, comandada pelo governador Rui Costa (PT), no entanto, após muitas especulações na época, ele anunciou no dia 30 de dezembro de 2019 que não sairia candidato às eleições municipais e seguiria comandando o Esporte Clube Bahia. Naquele momento, o mandatário já vinha sendo bastante criticado após a campanha ruim do Esquadrão no 2º turno do Brasileirão e afirmou que não poderia deixar o Bahia em momento delicado, mas não descartou concorrer a cargo eletivo no futuro.

 

Matéria publicada pelo Jornal “O Globo”, na última segunda-feira, destacou as situações de Guilherme Bellintani, e Romildo Bolzan, presidente do Grêmio, não apenas no âmbito esportivo. Segundo o portal, ambos apostavam na gestão do futebol como vitrine para disputar eleições a governos estaduais em 2022, e agora correm contra o tempo para reverter o placar negativo. Os dois seguiriam o mesmo caminho de Alexandre Kalil (PSD), que aproveitou do excelente trabalho no Atlético-MG como palanque para se eleger à prefeito de Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais, em 2016.

Bolzan, ex-prefeito de Osório (RS), conduziu o Grêmio nos últimos anos a títulos nacionais e internacionais numa gestão tida como financeiramente equilibrada. O currículo o levou a ser apontado desde o início do ano pelo PDT como pré-candidato ao governo. No entanto, esse ano, o time gaúcho amargou o rebaixamento à Série B.

Já Bellintani, que também conversava com o PDT, é um dos nomes sondados para o posto de vice-governador na chapa de ACM Neto (DEM) ao Executivo baiano, destaca o Jornal. Neto e Bellintani chegaram a se afastar após o presidente do Bahia ser convidado pelo PT no ano passado, em um bom momento do clube. Em outubro, sinalizaram uma reaproximação pública, semanas antes de o rebaixamento do Bahia ser consumado. O insucesso pode ter travado o movimento político de Bellintani, hoje cobrado a recolocar o clube na Série A antes de concluir a gestão.

No primeiro governo de ACM Neto, em 2013, Bellintani teve a sua primeira experiência executiva como secretário de Desenvolvimento, Turismo e Cultura, dando uma nova cara ao Carnaval de Salvador. Um ano depois, assumiu a Secretaria de Educação. À frente da Sedur no segundo governo de ACM Neto, Bellintani foi um dos idealizadores do Salvador 360 – programa de oito eixos de investimentos para a cidade. Ele deixou a prefeitura no final de 2017 para disputar ao cargo de presidente do Esporte Clube Bahia, tendo sua gestão bastante conturbada nos últimos anos.

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário