E agora, quem fará os gols do Bahia?

Todos erram, certo? Em algum momento tomados por uma emoção repentina fizemos algo que nos arrependemos. Não cometeríamos o mesmo erro caso tivéssemos uma segunda chance.

Hodiernamente até o Papa erra. Bento XVI afastou o dogma da infalibilidade do chefe da Igreja. Porém, no meu Bahia continua os ventos do absolutismo. Os homens que o comandam acreditam que durante o seu reinado ninguém terá uma segunda chance, uma vez que se julgam perfeitos.

A autocracia de Angione nos causa ainda mais furor porque o Bahia conseguiu a glória de ascender depois de o darem como caso perdido. Agora, podemos estar em direção do caos com o mesmo Angione que resolveu escalar-se como único soberano do Bahia, com direito de vida ou morte sobre a permanência de jogadores. Nada os faz contemporizar e vislumbrar as consequências de suas atitudes, inclusive políticas.

Temos agora no Bahia um absolutimos insuportável. Não questiono se foi a falta grave que ocasionou a saída de Jael, isso parece óbvio. Mas podemos ver nesta desculpa uma oportunidade de afastar alguém que estava incomodando. Podemos ver que antes de Jael sair Fernando foi embora sem uma justificativa plausível, com uma desculpa fraca.

Na verdade, qualquer um que tente colcocar-se entre o Angione e a torcida é colocado para fora. Fernado era uma candidato a ídolo, Jael também. É isso, talvez incomode ao nosso diretor de futebol: os jogadores de personalidade forte.

Até nas arábias os ventos da democracia sopram, enquanto nos trópicos nosso Bahia parece involuir muitas vezes. Posso dizer infelizmente que entregamos o BaxVi.

É cediço que Jael tem o temperamento esquentado e que era um dos poucos a também encarnar por isso um aspecto precioso da torcida, a tranparência de suas emoções.

Infelizmente, nosso diretor de futebol não compreende que as pessoas podem, às vezes, acometidas de forte emoção, praticar atos inacreditáveis, bastando para isso somente alguns segundos de destempero.

Foi o que aconteceu com Jael quando questionando pelo diretor.
Mauricio Guimarães Moura Costa

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*