Vitória aposta suas fichas contra o Bahia

Ricardo SilvaO Vitória tem um jogo importante no próximo domingo, o BAVI. Não que um triunfo seja tão fundamental para o clube, pois já está garantido na próxima fase do Baianão, mas dizem que uma derrota pode começar a decidir o futuro de Ricardo Silva no comando do leão. Pode até ser verdade, prefiro crer que o jogo de volta contra o Corinthians-AL no Barradão (10/03) seja muito mais decisivo.

Ricardo Silva comandou o time que venceu o primeiro BAVI do ano, e se vencer o de domingo elevará um pouco da moral do time e dele mesmo com a torcida, ainda assim não apagará a derrota para o time alagoano. Aliás, perder para o time alagoano não foi o pivô das reclamações e preocupações da torcida rubro-negra, e sim de como o time se comportou em campo, uma coisa muito triste e vergonhosa de ver.

Surpreendido na última quarta-feira, após a derrota por 3 a 1 para o Corinthians-AL, em Maceió, na estreia da Copa do Brasil, o Vitória viu sua invencibilidade de sete jogos ser quebrada. Agora a equipe rubro-negra volta suas atenções para o Campeonato Baiano e tem a chance de passar uma borracha no recente resultado negativo.

O técnico Ricardo Silva, aliás, afirmou que confronto de Alagoas já ficou para trás. “Nem eu e nem os jogadores gostamos de perder. Mas o jogo contra o Corinthians-AL são águas passadas. E é bom lembrar que antes do primeiro BaVi nós também perdemos para o Itabuna”, relembrou o comandante, mas fazendo menção ao próximo compromisso de seu time.

Neste domingo, às 17h, no Pituaçu, o Vitória enfrenta o arquirrival Bahia, em partida válida pela décima rodada do estadual. Preocupado com o duelo, o treinador rubro-negro solicitou a presença da torcida para ajudar sua equipe. “Contra o Bahia será um jogo difícil, que poderá ser decidido nos detalhes e, por isso, conto com o apoio incondicional da torcida rubro-negra porque ela sabe a força que tem”, afirmou.

Dono da melhor campanha do Campeonato Baiano, com sete vitórias, um empate e uma derrota, o Vitória lidera o Grupo 1 da competição, com 22 pontos. “Nós temos a defesa menos vazada do campeonato (ao lado do Bahia de Feira, com 6 gols sofridos), o ataque mais positivo (21 gols) e o artilheiro (Ramon, com 7 gols). Estou tranqüilo, mas em clássicos não há favorito. Nós temos que jogar bola”, concluiu Ricardo Silva. (UOL)

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*