Futebol baiano nivelado por baixo, diz Jornal

A matéria do Jornal da Metrópole, desta sexta-feira, revela as impressões de alguns cronistas esportivos sobre o nível do futebol da Bahia. Eles chegaram à conclusão de que estamos despencando. Grande novidade, afinal, o campeonato baiano nunca foi nivelado “por cima”, sempre foi ruim, horrível, sofrível! A começar pelos gramados, nunca serviu de parâmetro para se avaliar qualquer coisa, muito menos o nível técnico do Bahia ou Vitória.

 

O torneio sobrevive para atender os interesses das federações, a rivalidade sem consequência e de alguns clubes semi-amadores, que ano a ano se revesam como falsos sparring para a dupla Bahia e Vitória. O nível do campeonato baiano (e da maioria) é tão interessante, que podemos prever com dois palpites simples quem será o campeão e o vice de 2055. Confira o que pensam sobre o assunto, os cronistas Paulo Cerqueira, Rui Botelho e etc e tal.

“A força do interior e “O interior mostra sua cara” foram algumas manchetes da mídia após a quinta rodada do Campeonato Baiano, dia 31/1”. Em Pituaçu, o Bahia foi goleado por 5 a 3 pelo xará de Feira. Crise no Fazendão. No interior, o Vitória arrancou um empate em 2 a 2 com o Fluminense, no Jóia da Princesa. As duas maiores forças da Bahia amanhecem o primeiro dia de fevereiro fora da liderança do Estadual. No Grupo 1, o Vitória da Conquista está na ponta.

No outro, o líder é o Camaçari. Assim começou o Baianão 2010 – ao contrário dos anos anteriores, Bahia e Vitória não conseguiram se impor tão facilmente. Um questionamento foi repetido durante semanas: os times do interior melhoraram ou Bahia e Vitória pioraram? A intriga dos torcedores virou pergunta do Jornal da Metrópole aos principais comentaristas esportivos da Bahia, integrantes da equipe Os Campeões da Bola, da Metrópole FM. O que tem acontecido no futebol estadual é a fusão dos dois pontos, na opinião de Edson Marinho, Rui Botelho e Antonio Tillemtont. Já Paulo Cerqueira credita o equilíbrio da primeira fase da competição à queda de qualidade da dupla BaVi. Mas entre todos há um consenso: o nível do futebol baiano está despencando.

Em busca de ajuda

A solução para dar suporte aos times do interior, na opinião dos especialistas, é mesmo o programa estadual Sua Nota É um Show. Edson Marinho lembrou que com “exceção dos times que têm alguma estrutura – Bahia de Feira, com empresários, Fluminense, que manteve base do ano passado, Vitória da Conquista e Madre de Deus, que dizem ter um pastor que ajuda” – o restante precisa do socorro estadual.

Os comentaristas lembram ainda que os recursos sejam escassos tanto na capital quanto no interior. “O Bahia não tem dinheiro para fazer um time para voltar à Série A, a Vitória não tem para fazer um time para a 1ª Divisão e as equipes do interior não têm dinheiro para montar um time para disputar o Baiano. Por isso, há um nivelamento. Mesmo que não seja total, há um nivelamento parcial”, avalia Rui Botelho.

Bahia e Vitória involuíram’

Os comentaristas esportivos deixaram claro que o principal, o nível o futebol baiano está bem abaixo o desejado. “Nem o Bahia tem condições de disputar a Série B e a Copa do Brasil nem o Vitória tem condições de jogar e permanecer na Série A. Eu digo que Bahia e Vitória involuíram, por isso a aproximação dos times do interior, que não têm qualidade nenhuma”, criticou Paulo Cerqueira. Já Antonio Tillemont, além de concordar que os espetáculos nos estádio baianos são de quinta categoria, lembra um diferencial que faz os times do interior largarem com vantagem: “Eles começam bem por que começam a treinar mais cedo”.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*