Ave Vitória!

Vitória e Náutico tem tudo para ser um clássico nordestino dos mais apimentados. O Náutico vem de resultados negativos, são 4 derrtoas seguidas. Entretanto tem em Geninho um “Salvador da Pátria”; Ninguém mais acredita em “salvadores da pátria”, na verdade os tememos mais que tudo. Mas, é aí que reside a vantagem do Vitória em poder se aproveitar desse desespero do time alvi-rubro dos Aflitos, da Rua da Ungustura. Talvez, angústia que o time baiano venha a sentir mais de perto sem se contaminar pelo clube tradicionalmente mais amistoso e simpático de pernambuco.

Naturalmente, os alvi-rubros, estão chateados, mas não são com os baianos. Muito menos chateados com as últimas lembranças dos acontecimentos entre Náutico e Vitória mas, pela iminência de rebaixamento do Timbu, estão os pernambucanos arretados. O Náutico vai mal, e agora é o momento do Vitória tiorar proveito da situação, em suas mãos está um desafio maior de enfrentar o desespero de adversários sem entrar no clima de provocação que existe entre baianos e pernambucanos, talvez mais dos pernambucanos.

Aflige-me, às vezes, em Recife, ver a expressão tão cara para nós, como o termo “baiano”, ser usada como uma atributo desqualificador. Essa é uma das mazelas e perfídia fruto do atraso do Brasil numa rivalidade inventada e instigada pelos menos afortunados de consciência histórica. É hora da Bahia do Vitória ser campeão, não quase campeão, como foi algumas vezes. Chegou a hora do Vitória, do vitorinha que carinhosamente amigos e familiares rubro-negros o chamam. Certamente, o malote já foi fechado, preparem-se para emoções fortes!

Ave Vitória!

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*