Goleiro Darci vive dia de astro

Debaixo das traves, ele comandou o espetáculo no Barradão. Defesas sucessivas e o goleiro mais vaiado da estréia do Baianão conquistou a redenção no primeiro clássico da temporada, vivendo ontem um dia de astro, centro das atenções no Fazendão, convocado para várias matérias pela imprensa. Darci fechou o gol e assegurou a vitória do Bahia no domingo. Fez o torcedor rubro-negro se virar de vez contra o ex-tricolor Moré. “Quando me perguntaram, logo depois do jogo, qual tinha sido a defesa mais difícil, comentei que foi a do chute do Jackson. Mas vendo o teipe depois, acho que a do Moré foi mais complicada”, analisa. A cabeçada com gol aberto tinha endereço certo até o goleiro surgir e espantar o empate. Prenúncio de que o Bahia manteria sua defesa intacta durante os 90 minutos. Ao barrar Moré, Darci ganhou moral, cresceu e ocupou o espaço entre as traves como nunca. Tanto que até gera controvérsia quanto à defesa mais complicada. O preparador de goleiros Borges dá sua opinião. “Acredito que na cabeçada do Marcelo Silva, no segundo tempo. Foi puro reflexo”.

A história se repetiu nos últimos jogos no Barradão, mas não com tamanho destaque. Curiosamente, Darci venceu os três clássicos que disputou com a camisa tricolor no estádio. Em 2006, vitórias por 1×0 no Baianão e 2×1 no Brasileiro da Série C. Mas Darci sabe muito bem que qualquer deslize pode ser fatal na carreira de um goleiro. “O jogador tem que saber lidar com os elogios e as críticas. Eu sei que ainda tenho que melhorar”, garante. Bom mesmo, porque só assim a lasanha quente estará sempre à espera no fogão. A mulher que o diga. “Ela preparou, mas disse que eu só poderia comer se tivesse uma grande atuação no Ba-Vi. Garanti a comida da semana toda”, divertiu-se o goleiro.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*