Vitória pensa no Sousa para esquecer derrota no Ba-Vi

O day after no Vitória, depois de perder para o rival Bahia, por 2×0, teve sabor amargo. No ano passado, aconteceram quatro Ba-Vis e desses o rubro-negro ganhou dois e houve dois empates, embora nenhum triunfo tenha acontecido no Barradão. Ontem, contrastando a alegria nos resultados favoráveis no ano passado, o ambiente foi de abatimento na reapresentação, notadamente entre os jogadores que estiveram envolvidos no clássico. Ninguém gosta de perder, principalmente em se tratando de um jogo de rivalidade, quando a cobrança é maior, não só por parte da imprensa, mais ainda do torcedor.

“A gente fica triste porque o resultado não aconteceu a nosso favor, claro. Nós lutamos, tivemos oportunidades e finalizamos, mas o goleiro deles (Darci) esteve num dia inspirado e garantiu o resultado”, disse o experiente Jackson.

Bastante criticado e vaiado pelos torcedores do Vitória e também do seu ex-clube Bahia, Moré vai continuar tendo o apoio do técnico Vadão. Em oito jogos, marcou apenas um gol, o que é muito pouco para um atacante-artilheiro, que na temporada passada assinalou 24 defendendo o tricolor. “Fiquei triste pelas vaias, mais ainda pela derrota porque a gente não merecia.

O técnico Vadão manteve as declarações que fez depois do jogo.

Ontem, antes do início do treino, ele reuniu os atletas no vestiário para parabenizá-los pelo desempenho da equipe que ele considerou como o melhor dos dez jogos pelo Campeonato.

“Perdemos e méritos para o Bahia. Eu sou profissional do Vitória, portanto tenho que falar do meu time e não do adversário. A nossa equipe foi melhor em campo, teve boas oportunidades, mas costuma-se analisar o jogo pelo resultado”.

Profissional experiente, Vadão estava muito tranqüilo, quando foi lhe perguntado o que poderia lhe acontecer com duas derrotas seguidas no Baianão – antes, perdera para o Colo-Colo por 3×1 – e uma má estréia na Copa do Brasil, amanhã, à noite, contra o Sousa, da Paraíba. “Eu tenho um planejamento para cumprir no Vitória e vou seguindo. Eu tive recentemente duas propostas para trabalhar no exterior e uma sondagem para treinar uma equipe brasileira (em São Paulo) e não aceitei”, comentou.

O treinador estava chateado com o procedimento de dois integrantes de torcidas organizadas, que fizeram pressões no momento em que ele dava entrevistas à imprensa. “Eles agiram num momento impróprio, porque estou sempre à disposição deles para falar sobre qualquer coisa. Foi uma falta de respeito que eles tiveram até mesmo com a imprensa”, desabafou.

A delegação do Vitória embarcou ontem, à noite, no Aeroporto Internacional Deputado Luís Eduardo Magalhães, e tem chegada prevista para 1h25 da madrugada na cidade de João Pessoa, na Paraíba. A viagem com destino a Sousa será hoje após o almoço.
Adversário não perde um jogo em casa desde 2006
O Souza, adversário do Vitória nesta quarta-feira, pela Copa do Brasil, lidera o Campeonato da Paraíba. Com 14 pontos, venceu quatro jogos e empatou dois, está invicto e com dois pontos na frente do Treze, comandado pelo ex-técnico rubro-negro, Fito Neves, vice- campeão brasileiro em 1993.
Nas últimas 15 partidas disputadas no Estádio Governador Antônio Mariz, o Marizão, o time do Sousa venceu 14 confrontos e empatou desde 2007. A última derrota em seus domínios ocorreu no Campeonato Paraibano de 2006.
Fundado no dia 10 de julho de 1991, o Sousa Esporte Clube é da cidade de Sousa, alto sertão da Paraíba, a 420 km de João Pessoa. O município detém um dos mais importantes sítios paleontológicos do planeta, o Vale dos Dinossauros, localizado na Bacia do Rio do Peixe. O Vale expõe trilhas pré-históricas que provam a passagem dos animais em solo paraibano.
Conhecido pela alcunha de ”Dinossauro verde do Sertão”, o Sousa manda seus jogos no Marizão, com capacidade para 12 mil pessoas. O time tem dois títulos estaduais: da primeira divisão em 1994 e da segunda em 1991. Também no ano de 94 ganhou o torneio início e em 2001 a Copa Jornal da Paraíba.
O time base do Sousa: Bel, Robsom, Alex Costa, Alisson e Camilo; Silva Baiano, Jefferson, Márcio Tarrafas e Fredson; Ribinha e Júnior Mineiro.
O técnico alviverde é Pedrinho Albuquerque, e o atacante Júnior Mineiro, com sete gols marcados, o artilheiro do campeonato.
No Campeonato da Paraíba, o time alviverde tem 100% de aproveitamento dentro de casa: venceu os três jogos. Como visitante, ganhou uma partida e empatou duas. No último domingo, com gols de Jefferson, Fredson e Kanu, o time alviverde derrotou o Atlético, no Estádio Perpetão, em Cajazeiras.
Zagueiro Marinho é descartado para defender o Leão

O Vitória desistiu da contratação do zagueiro Marinho, porque o jogador tem um dinheiro a receber da Ponte Preta, e está acertando seu retorno para o clube de Campinas.

A decisão foi tomada nesta segunda-feira, à tarde, depois de um novo contato com o zagueiro que perdeu o vôo marcado no sábado, à noite.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*