O Sino Bateu! Paraná elimina o Vitória da Copa do Brasil.

Aconteceu aquilo que até mesmo o mais entusiasmado torcedor do Vitória esperava. Ainda com toda fé e sabendo que a primeira vez um dia acontece, as chances do Leão hoje à noite contra o Paraná no Estádio Durival de Britto e Silva, em Curitiba, eram reduzidíssimas pela equivalência de força entre os clubes ainda que em divisões distintas, e, sobretudo, pela falta de apontamento no histórico do Leão em feito semelhante, digo, bater em porta alheia e sair de lá sem dá boa noite e carregando na sacola o resultado de 3 x 0 necessário. Isto é tarefa para times clubes. Não é nosso caso.  A esperança só existiu pela gratuidade

Valentia deste porte só seria possível em um torneio fraco e pobre como o Campeonato Baiano, contra o Paraná e lá era difícil antes, foi difícil durante e será difícil depois. Depois dos 90 minutos, o máximo possível foi sair de lá com empate de 0 x 0 e assim, a derrota por 2 x 0 dentro de casa na semana passada funcionou como um enorme castigo já que acabou selando a sorte do Leão na Copa do Brasil.

Moral:

O sino bateu, e o Leão está eliminado da 2ª competição de maior importância no calendário do futebol nacional, enquanto o modesto Paraná avança até as oitavas de finais e agora aguarda o sorteio para saber quem será seu adversário, além disso, o time paranaense com o avanço, aumenta para R$ 3,3 milhões de premiação, notadamente pelos triunfos em cima dos clubes do futebol baiano.

O primeiro tempo houve um cenário bem claro. O Vitória pressionando atrás de reduzir o prejuízo que já levou para o jogo, enquanto o Paraná, jogando dentro de regulamento fechadinho e o tempo todo lá atrás apenas tentando administrar o lucro obtido em Salvador no primeiro jogo e no aguardo de uma oportunidade ainda que única no contra-ataque. Ambos fracassam no intuito. Assim, o Vitória teve a posse de bola. Certo controle do jogo, mas não traduziu essa aparente supremacia e perigo de gol. Apenas duas oportunidades de meio perigo. Cleiton Xavier e Kanu.

No segundo a pegada foi à mesma. O quadro pouco mudou com o Vitória pressionando de forma ineficiente e ficando na forte marcação exercida pelo time adversário. Poucas chances de gols, muita correria, pouco futebol e o resultado almejado pelo time baiano em momento algum esteve perto de acontecer, exceto no final do jogo na base do desespero. 

No total dos 90 minutos, o Paraná teve 37% de posse de bola, 5 finalizações (1 certa), 85% de precisão nos passes e nenhum escanteio. O Vitória somou 9 finalizações (1 certa), 87% de precisão nos passes e 8 escanteios. Os dados são do Footstats.

Agora o Esporte Clube Vitória arruma as malas e ruma para casa e se dedica exclusivamente as semifinais do Campeonato Baiano no próximo Domingo quando agora no Estádio Manoel Barradas Carneiro encara o Vitória da Conquista às 16h precisando de um simples empate para fazer a grande final competição seguramente com o Bahia que enfrenta o Fluminense um dia antes da Arena Fonte Nova.