E.C Bahia: Associação seguirá responsável contratualmente até a SAF ser constituída

O presidente ressaltou que é fundamental a participação do sócio nas assembleias.

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O presidente Guilherme Bellintani segue tirando dúvidas de torcedores sobre a proposta do Grupo City para compra de 90% das ações do clube e também sobre a mudança para a Sociedade Anônima de Futebol. Em live no canal do clube em uma rede social, na última quinta-feira, o mandatário frisou que a Associação vai continuar responsável contratualmente até a constituição completa da SAF, mas contará o apoio do conglomerado árabe na tomada de decisões.

 

“Enquanto a SAF não estiver plenamente constituída, a Associação segue sendo responsável contratualmente. Indiscutivelmente, temos um parceiro a partir do dia quatro com tecnologia e decisões. A partir do dia quatro, todas as decisões do futebol serão assinadas por nós, mas tomadas com sabedoria do parceiro, maior grupo de futebol do mundo. A partir do dia quatro, toda essa lógica como decisões de treinador e jogador passarão por parceiro”, explicou.

Vale frisar que o fundo árabe se compromete a pagar R$ 1 bilhão pela aquisição de 90% da SAF do Bahia em até 15 anos. A associação civil permaneceria na sociedade com participação minoritária, por meio de seus 10%. Desse valor, R$ 500 milhões serão destinados para a compra de jogadores, R$ 300 milhões para o pagamento de dívidas, e R$ 200 milhões para infraestrutura, categorias de base, capital de giro, entre outros. A folha salarial do futebol passaria a ser de R$ 180 milhões por ano, o que representa 60% do orçamento.

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário