Presidente do Conselho do Bahia comenta contratação de Marcinho

O dirigente comentou ainda sobre a contratação do lateral-direito Marcinho

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

A contratação do lateral-direito Marcinho pelo Esporte Clube Bahia gerou grande repercussão entre os torcedores, devido ao jogador responder a um processo por atropelar e matar um casal, em dezembro de 2020. Um ano antes, o atleta viveu seu melhor momento na carreira, com a camisa do Botafogo, sendo convocado para Seleção Brasileira pelo técnico Tite. Esse ano, Marcinho defendeu o Athletico-PR, mas acabou dispensado, sendo anunciado pelo Esquadrão de Aço. Uma parte da torcida protestou contra a chegada do lateral. Em entrevista cedida ao programa BN Na Bola, da Rádio Salvador FM 92,3, na última quarta-feira (03), o presidente do Conselho Deliberativo, Leonardo Martinez, opinou sobre a contratação do jogador.

 

“É papel do Conselho Deliberativo fiscalizar o cumprimento do estatuto, dos diplomas legais e a legislação nacional. A contratação de Marcinho não fere esses tópicos. Se eu fosse presidente da Diretoria Executiva, com as informações que eu tenho hoje, penso que não existe pena perpétua no Brasil. O jogador demonstrou arrependimento, pela atitude, o comportamento dele, eu penso que ele merece, sim, exercer sua profissão, seu trabalho, e ficar submetido à Justiça”, opinou o presidente do Conselho Deliberativo.

Por conta da indefinição quanto ao processo criminal, o Bahia se resguardou judicialmente em caso de condenação do lateral. “Tem cumprido o que a Justiça determinará. O Bahia respeitará as decisões judiciais. Nosso contrato vai até o final da Série B. O clube está se respaldando com cláusulas que protejam o clube em caso de condenação. Mas, enquanto a Justiça brasileira permitir que o atleta desenvolva o seu trabalho, o clube vai abrir as portas e dar oportunidade de voltar a trabalhar”, afirmou Eduardo Freeland em anúncio da chegada do jogador.

Natural do Rio de Janeiro, Márcio Almeida de Oliveira, mais conhecido como Marcinho, acumula passagens pelas divisões de base de Flamengo e Botafogo. Se profissionalizou no Fogão, onde ficou de 2016 até 2020. Viveu sua melhor fase em 2019, quando chegou a ser convocado pelo técnico Tite para Seleção Brasileira. No ano seguinte, perdeu espaço e foi negociado com o Athletico-PR. No Furacão, disputou 57 jogos, com 2 gols e 9 assistências, mas acabou dispensado em abril deste ano após cometer um pênalti na final da Recopa Sul-Americana diante do Palmeiras.

Deixe seu comentário!

2 Comentário

  1. Taí Sergio uma boa idéia, ao invez de cancelar o cidadãodar oportunidade e mostrar para os jovens atletas a sua experiencia.

  2. O jogador do Bragantino e Palmeiras Bruno teve seu contrato com ambos clubes anulados por atropelamento e morte no trânsito em razão ingerir bebidas alcoólicas; Deste modo se o Bahia busca socializar o Cidadão Marcinho dando oportunidade de exerce sua profissão de jogador; Sugiro a direção do Bahia que promova com Marcinho palestras na Divisão de Base e Profissionais dos Elencos Feminina e Masculino palestras Educativas e se Possível na Rede de Ensino Pública e Privadas de Salvador em prevenção ao Fato cometido pelo referido contrato jogador do Bahia.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*