Sem clube, Daniel Alves ‘vende seu peixe’: “Sou o maior vencedor da história”

Lateral-direito da seleção brasileira deixou o Barcelona ao final da temporada 2021/2022, onde atuou em 14 partidas. Athletico Paranaense tem interesse no jogador

Cria do Bahia na temporada 2001, Daniel Alves passa a ficar livre, oficialmente, no mercado da bola a partir desta quinta-feira (30), já que o contrato do lateral-direito com o Barcelona chega ao fim. Apesar da prioridade de permanecer em atuação no futebol europeu até, no mínimo, a convocação para a Copa do Mundo, que começará em novembro deste ano, ele tem sido avaliado por clubes brasileiros. Nas redes sociais, Daniel brincou sobre a própria experiência e se ofereceu aos clubes.

 

“Aproveito também para vender meu peixinho, já que estou muito velho e desacreditado no mercado. Nas imagens você pode ver um velhinho fazendo algumas coisas com um olhar diferente e sempre com a cabeça muito bem alta. Também podemos apreciar que há uma intensidade considerável e um jogo bastante consciente. Brincadeiras à parte, hoje estou livre no mercado. Meu nome é Dani Alves, brasileiro, mas conhecido como Good Crazy, tenho 38 anos e juntos com os meus, sou o maior vencedor da história do futebol, com 43 troféus. Ah e se alguém me passar, vou jogar até os 50 anos”, postou.

Um deles é o Athletico Paranaense, que repatriou recentemente o volante Fernandinho, com passagem pela Seleção Brasileira e Manchester City. A diretoria do Furacão, inclusive, já deixou as portas do CT do Caju abertas para a chegada de Dani.

“O sonho dele é ser convocado outra vez para a seleção, quer levantar a taça, ser o capitão. O primeiro passo, ele precisa jogar em um clube de altíssimo rendimento. Acho muito difícil, pelas ofertas que ele tem. Diria que é zero? Não. Mas é muito próximo disso”, ressaltou o presidente do Athletico, Marcio Celso Petraglia, em entrevista ao site ge.globo.

O clube paranaense tem como esperança a relação do diretor técnico Felipão com o lateral, ex-Barcelona. “Ele tem um instituto que acolhe crianças, meninas e meninos, quer ampliar isso fortemente para o Brasil todo. Está no Nordeste, quer vir para o Centro-Oeste, para Minas Gerais, e fizemos um acordo do Athletico dar suporte a ele na parte funcional, na parte de gestão de formação de atletas. Esse segundo passo está acertado”, contou o gestor do Furacão.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*