Técnico Zago aponta período para Grupo City assumir o Bahia

Responsável pelo comando técnico do Bolívar, comandante analisa estágio final de fundo árabe aplicar metodologia oficialmente no Esquadrão de Aço

Foto - Divulgação/Club Bolívar

A chegada da metodologia da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) ao futebol brasileiro implicou em mudanças administrativas em diversos clubes. O mais recente que está na mira do Grupo City, detentor do poderoso Manchester City, é o Bahia. Em transações articuladas com o fundo árabe, o Esquadrão de Aço pode fechar a parceria no início do segundo semestre deste ano ou no começo de 2023.

 

“Pelo que eu sei, estão praticamente terminando as negociações para que o grupo assuma o Bahia. Não sabe se agora em agosto ou em janeiro. Mas as negociações estão bem adiantadas”, frisou o técnico Antônio Carlos Zago, do Bolívar, clube ligado ao CFG, em entrevista ao site ge.globo.

Aos 53 anos de idade, Zago está no maior campeão nacional da Bolívia há duas temporadas. Até então, ele soma 29 vitórias em 47 jogos disputados. Apesar da integração do clube ao Grupo City desde janeiro de 2021, a agremiação não foi comprada. Em contrapartida, ela recebe uma consultoria e acesso aos dados de todos os outros times integrantes do coletivo.

Próximo do CFG há pouco menos de uma temporada, Zago elogiou a empresa. Ele aproveitou para tranquilizar a torcida tricolor e projetou êxito na trajetória do clube caso a negociação seja efetivada.

“Não estou participando diretamente das negociações, mas o Bahia vai sempre ser um clube grande. E agora vai ter por trás uma grande empresa, um grande grupo, com aporte financeiro também, investindo muito nas categorias de base, investindo para que a equipe possa voltar o mais rápido possível para a Série A”, frisou o ex-zagueiro.

No futebol brasileiro, Zago soma passagens em equipes como Audax-SP, Juventude, Internacional e Bragantino.

Deixe seu comentário!

1 Comentário

  1. Em primeiro lugar Zago não tem respaldo nenhum pra dar opinião pois é só um simples técnico de um time que não foi vendido ao grupo, não tem cacife para participar diretamente ou indiretamente das negociações que envolve SAF, penso então que essa reportagem só pode ser balela ou então a direção do Bahia está pagando pela divulgação pra tirar as críticas de cena a ela dirigida, enfim só acredito qdo acontecer e pra não esquecer; fora Belintane, amigo dos Guimarães

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*