Cogitado no Bahia, Fabinho se despede do Ceará nas redes sociais

Ao todo, em quatro anos no Vozão, ele disputou 138 partidas

Foto: Divulgação/Ceará

A pedido do técnico Guto Ferreira, o Esporte Clube Bahia está negociando a contratação do volante Fabinho, de 35 anos, que estava no Vozão desde 2018, mas não chegou a um acordo para renovar o contrato encerrado no dia 10 de dezembro. Após duas temporadas de destaque (2019 e 2020), Fabinho sofreu com as lesões em 2021 e só disputou 21 jogos. Ao todo, em quatro anos no Vozão, ele disputou 138 partidas, com três gols marcados e uma assistência, além disso, foi um dos atletas mais regulares do elenco na passagem pelo clube. Nas redes sociais, o volante se despediu do Ceará com uma mensagem.

 

“Nossa vida é cíclica e no futebol sabemos disso bem. Um ciclo se iniciou em 2018, foi um dos maiores desafios da minha carreira, sair da grandeza do Internacional e ir para uma equipe que tinha acabado de subir para a elite, vivia um momento difícil no campeonato, e aceitei esse desafio. Nos anos seguintes conseguimos elevar o nível do Ceará em competições nacionais e internacionais. Pelo meu número de jogos eu tive uma participação grande nesse período de crescimento, saio feliz sabendo que cumpri minha missão dentro e fora de campo do Ceará.”

“Só tenho a agradecer a Deus por tudo que vivi nesse clube e sigo torcendo para o Ceará seguir crescendo. Agradeço ao presidente, funcionários, atletas, todos os setores, do setor mais simples ao presidente. Deixei amigos ali e só tenho motivos para agradecer”, afirmou ao ge.

Natural de Cruzeiro (SP), Fábio Gonçalves foi revelado pelo Camboriú e acumula passagens também por Campinense, Baraúnas, Alecrim, América-RN (onde ficou de 2011 até 2014), Figueirense, Internacional (onde jogou de 2016 até meados de 2018). No Colorado, até teve certo destaque em 2016, mas acabou perdendo espaço em 2017/2018, e acabou emprestado ao Ceará, em maio de 2018.

Pelo Vozão, teve grande destaque nas temporadas 2019 e 2020, disputando ao todo 103 jogos, sendo peça importante na conquista da Copa do Nordeste em 2020 com Guto Ferreira. Em 2021, acabou sofrendo algumas lesões que atrapalharam sua regularidade, chegou a ficar três meses sem jogar após passar por artroscopia e, além disso, pegou Covid-19. Foram apenas 22 partidas esse ano (1 pelo time sub-23). Com o contrato encerrando no final de 2021, o Ceará decidiu por não renovar.

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário