Chagas foi o técnico com melhor aproveitamento do Vitória na temporada 2020

Dos 11 sob seu comando, o Rubro-Negro venceu cinco, empatou quatro e teve duas derrotas

Foto - Tiago Caldas/CORREIO

O Vitória iniciou a temporada 2020 com o técnico Geninho, que havia feito um bom trabalho em 2019, pegando o time em situação complicada e livrando do rebaixamento com algumas rodadas de antecedência. Com alguns reforços, foi encontrando o time ideal, e antes da paralisação por conta da pandemia do coronavírus, em março de 2020, somou 4 vitórias, 5 empates e 1 derrota, 13 gols marcados e 6 sofridos, com um aproveitamento de 56,6%. A única derrota foi para o Ceará, ao perder por 1 a 0, pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil. Porém, durante a paralisação, a diretoria rubro-negra demitiu o experiente treinador alegando dificuldades financeiras e decidiu apostar no jovem Bruno Pivetti.

 

Pivetti, até então auxiliar, foi efetivado pelo presidente Paulo Carneiro. Comandou a equipe no Campeonato Baiano, não conseguindo classificar o time para 2ª fase, sendo eliminado nas quartas de final para o Ceará na Copa do Nordeste, e na Copa do Brasil caindo na 3ª fase para o próprio Vozão. O treinador comandou o Vitória em 19 partidas. Foram quatro vitórias, nove empates e seis derrotas. Ele deixou o Rubro-Negro com um aproveitamento de 36,8%.

Anunciado no início de outubro para substituir Bruno Pivetti, o técnico Eduardo Barroca ficou apenas 9 jogos no Vitória, com apenas uma vitória, cinco empates e duas derrotas. O treinador pediu o desligamento após receber o convite para retornar ao Botafogo. Rodrigo Chagas, que estava treinando o time sub-20, assumiu interinamente e deu conta do recado, conquistando duas vitórias, um empate e uma derrota, nos quatro jogos que esteve a frente do time principal.

Apesar do bom aproveitamento, a diretoria decidiu trazer Mazola Júnior ao invés de efetivar o interino. Mazola, que antes mesmo de estrear já sofria com os protestos da torcida, ficou apenas quatro jogos, conquistando um triunfo (Juventude) e sofrendo três derrotas (Cruzeiro, Oeste e CSA), um aproveitamento de 25%. Paulo Carneiro, que até então defendia a contratação do treinador, percebeu o erro e corrigiu a tempo de evitar o desastre que seria o rebaixamento para Série C. Mazola foi demitido e Rodrigo Chagas chamado de volta. Agora como treinador efetivo, Chagas dirigiu o Leão em mais sete jogos. Dos 11 sob seu comando, o Rubro-Negro venceu cinco, empatou quatro e teve duas derrotas, aproveitamento de 57,5%.

 

 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*