Atlético-BA pode voltar a disputar uma final de Baianão depois de 47 anos

Em 1973, o Atlético perdeu para o Bahia por 2 a 0 na decisão

Atlético de Alagoinhas e Juazeirense foram os dois principais destaques após o retorno do Campeonato Baiano. Ambos figuravam fora do G-4, mas tiveram 100% de aproveitamento, somando seis pontos e terminando a primeira fase dentro da zona de classificação nos lugares de Vitória e Bahia de Feira. O Carcará venceu o líder Bahia por 1 a 0 em Pituaçu e depois derrotou o outro líder Jacuipense por 1 a 0 no Barradão. O Cancão de Fogo, por sua vez, venceu o Vitória da Conquista, por 3 a 0, no Adauto Moraes, e depois aplicou também 3 a 1 no Bahia de Feira na Arena Cajueiro. Os times entraram em campo nesta quarta-feira pelo jogo de ida da semifinal e o Atlético largou na frente por uma vaga na final do torneio promovido pela Federação Bahiana de Futebol.

 

Atuando no Estádio Adauto Moraes, em Juazeiro, o Atlético de Alagoinhas goleou a Juazeirense, de virada, pelo placar de 4 a 1, pelo jogo de ida da semifinal do Campeonato Baiano. O Cancão de Fogo abriu o placar com gol contra de Saulo, porém, o Carcará virou com gols de Magno Alves, Edilson, Lucas Alisson e Dedeco. Com isso, o Atlético pode perder por até dois gols de diferença no domingo, no Estádio Antônio Carneiro, e ainda assim garante a vaga na final. A Juazeirense, que não perdia em casa desde abril de 2018, precisa vencer por quatro gols de diferença para se classificar no tempo normal, ou por três gols para levar a decisão para a disputa por pênaltis. O vencedor após 180 minutos encara Bahia ou Jacuipense, que se enfrentam nesta quinta, às 17h30, pelo jogo de ida, no Eliel Martins.

Se confirmar a classificação, o Atlético de Alagoinhas voltará a disputar uma final de Campeonato Baiano depois de 47 anos. O último e único ano em que chegou na grande decisão foi em 1973, porém, acabou perdendo o título para o Esporte Clube Bahia, na época comandado pelo técnico Evaristo de Macedo. Após perder o título do ano anterior para o rival Vitória, o Esquadrão retomou a hegemonia estadual de forma avassaladora e teve uma campanha incrível: em 30 jogos, foram 21 vitórias, 8 empates e apenas 1 derrota. Na grande decisão, o adversário foi o Atlético de Alagoinhas e o Bahia venceu por 2 x 0.

VEJA TAMBÉM:

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*