Ceará supera o Esporte Clube Bahia nas arquibancadas em 2018

Futebol do Ceará vive seu melhor momento

O Flamengo vice-campeão brasileiro reinou como sempre nas arquibancadas no Brasileirão finalizado no último Domingo. Com uma média de público de 47 mil pessoas por jogo superou o São Paulo com uma margem expressiva, 34 mil foi à média do clube paulista, já o Palmeiras campeão da competição ficou em terceiro lugar com 32 mil torcedores. No Nordeste, o Esporte Clube Bahia tradicionalmente o clube de maior apelo na região, este ano ficou trás do Ceará que com uma campanha de recuperação somou uma média de 28 mil torcedores, enquanto o tricolor de aço apenas 19 mil.

Quando o assunto é renda e não apenas público, os clubes do clube do Ceará foram absolutos na região. No último jogo do Ceará no Campeonato Brasileiro 2018, por exemplo, 57.223 torcedores estiveram presentes no Castelão para acompanhar o empate em 0 a 0 com o Vasco. Na ocasião, geraram uma renda de R$ 1.128.494, que fez com que o Ceará se tornasse o clube do Nordeste que mais tem rendas milionárias na história.




O Blog do jornalista Cassio Zirpoli, que listou as maiores rendas do futebol nordestino considerando os jogos com borderôs a partir de R$ 1 milhão.

O Ceará, então, aparece como o clube que mais teve rendas milionárias como mandante, com 17 ao todo. Em segundo lugar aparece o Bahia, com 16, que estava empatado com o Alvinegro até o jogo do último domingo.

Na terceira colocação, aparece o Fortaleza, com oito, mas o Tricolor tem destaque por ser o dono das três maiores bilheterias, inclusive as duas únicas que superaram a barreira dos RS 2 milhões: No jogo contra o Brasil de Pelotas, em 2015, 62.903 proporcionaram renda de R$ 2.582.575, enquanto na partida contra o Juventude, em 2016, 63.903 geraram uma bilheteria de R$ 2.356.087.

Ainda de acordo com levantamento com o bom desempenho de Ceará e Fortaleza nas arquibancadas, a Arena Castelão é o estádio que mais recebeu públicos que geraram rendas superiores a R$ 1 milhão (25 jogos ao todo).

Veja também

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*