Luisinho: “Optei pelo Bahia porque é que é Bi Brasileiro”.

O novo atacante Luisinho do Bahia, a segunda contratação do tricolor para temporada de 2016 chegou no Santa Cruz como aposta em uma indicação do técnico Ricardinho, após amargar o banco de reserva do Atlético-GO e acabou o ano, como uma das figuras de destaque do Santa Cruz na campanha do acesso e de sucesso do time pernambucano. O jogador foi alvo de entrevista do Jornal A Tarde e falou das suas expectativas na caminha no tricolor agora de Salvador. Reconhece suas limitações, no entanto afirma que seu grande trunfo é a dedicação em treinos e jogos. Foi assim que ficou conhecido em Recife e espera repeti a dose no Esporte Clube Bahia.

Veja a entrevista

Como conseguiu deixar a condição de reserva para terminar o ano como destaque do Santa Cruz?

Além da minha dedicação ao time, o grupo me ajudou. Eu recebi muito apoio dos companheiros e do treinador Martelotte. Acho que a parte tática também ajuda. Agora, de nada adianta o sistema tático se encaixar no seu estilo de jogo se você não se doar em campo. A formação do time faz pouca diferença para mim, pois eu consigo atuar em funções diferentes. O mais importante é o grupo se unir e se ajudar dentro e fora de campo.

Você é descrito justamente como um atleta que se doa em campo. É isso que o Bahia pode esperar de você?

Pois é! Exatamente! Sei que a torcida do Bahia, que é um time de massa, gosta deste tipo de jogador. E é exatamente isso que ela vai ter de mim. Vou me dedicar e lutar ao máximo para ajudar o Bahia.

O que te fez trocar o Santa Cruz, que subiu para a Série A, pelo Bahia, que segue na B?

O Bahia é um clube conhecido e respeitado nacionalmente. É um time de massa, como o Santa Cruz, que eu aprendi a admirar. Gosto de times de massa. Neste aspecto, Bahia e Santa Cruz são parecidos. Só que o Bahia é bicampeão brasileiro, e isso faz muita diferença e o faz ser muito respeitado em todo país.

Você assinou contrato por dois anos. Gostaria de construir uma carreira longa no Bahia?

É meu desejo. Este sempre foi o foco das minhas conversas com o clube até assinar o contrato. Não só quero ajudar o Bahia a subir, como também gostaria muito de jogar a Série A pelo clube. Agradeço muito ao meu empresário, Eduardo Maluf, e ao presidente tricolor, Marcelo Sant’Ana, que compartilharam deste meu desejo de ficar no Bahia por um longo tempo. Eles se empenharam muito para que o acerto fosse possível.

Você passou por períodos na reserva dos clubes que defendeu. Qual é a diferença do Luisinho que a torcida do Bahia verá em 2016 para o que oscilou nos outros clubes?

O tempo tem me ajudado. Aliado à minha dedicação, venho adquirindo uma experiência que tem me feito bem na carreira. Eu pretendo passá-la para meus companheiros do Bahia, que sei que tem um elenco jovem. Porém, na mesma medida, espero ser ajudado pelos atletas mais experientes. Precisamos evoluir constantemente.

Que qualidades a experiência te ajudou a desenvolver?

A calma foi uma delas. Aprendi a enxergar melhor o jogo e perceber o momento certo de passar a bola. Meus passes se tornaram mais precisos e o meu jogo mais objetivo.

Você foi o recordista de assistências do Santa Cruz na Série B. Qual o segredo para desenvolver uma qualidade tão rara no futebol atual?

Em parte é um dom que eu tenho. Porém, o principal mesmo é treinar, treinar e treinar cada vez mais. O treino exaustivo é aquilo que faz com que você desenvolve e aperfeiçoe a técnica. É só com a prática repetitiva que se consegue executar nos jogos aquilo que você aprende a fazer no dia a dia.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*