“Não tô acreditando’, diz Roberto

Não confunda com Paulo Roberto, o menino da Ribeira. ‘É Roberto Heuchayer’, ensina, orgulhoso do nome composto que o pai inventou. Nome complicado, contrastante com a simplicidade que Roberto usa para contar sua história.

O autor de dois gols contra o ABC, que deixaram o Bahia em 3º lugar na estreia dele em Pituaçu, admitiu que a ficha demora a cair. “Não estou nem acreditando”.

Também pudera. O jovem que conseguiu desviar a atenção voltada para Joãozinho quase não dormiu na noite de sábado (6) para ontem (7). Antes, só era titular no Playstation, escalado por ele mesmo. No sábado à noite, tudo mudou.

“Fiquei na internet vendo o vídeo dos gols e as fotos que estavam botando no globo.com. Só consegui dormir 4h da manhã”, falou às 10h, no Fazendão, sandália gasta e escudo do Bahia no pé, antes de fazer fisioterapia no joelhoesquerdo. Garante que joga amanhã, às 21h, contra o Brasiliense.

A estreia em casa não era tão boa nem nos sonhos mais belos do adolescente de 18 anos, nascido em 4 de dezembro de 1990 – dia de Santa Bárbara e Iansã, embora seja evangélico. “Gallo me passou muita confiança, mas eu estava ansioso. Não imaginava fazer dois gols. Eu queria entrar e fazer um. Sempre via na televisão um menino de 17, 18 anos que estreia fazendo gol e já cai nas graças da torcida”.

Roberto caiu e descreve a sensação. “Muito emocionante. Nunca tinha visto a torcida toda assim na frente, gritando meu nome”. Viu os amigos segurando faixa lá em Pituaçu, mas não viu a mãe, Sílvia, que mora na piauiense Picos, a terra natal. Com ela, chorou ao falar por telefone logo após o jogo. “Assim que eu liguei o celular, começou a tocar”.

EVALDÃO – E o ídolo? “Gosto muito de Cristiano Ronaldo porque ele vai pra cima, e eu gosto de ir pra cima também”. A outra referência mora em Picos e não é conhecida. “É meu pai. Ele era meia-direita, todo mundo gostava dele. Jogava com os adultos e me botava no time. Eu era café-com-leite”, lembra, já livre da timidez.

O pai, Roberto Araújo, nunca foi profissional, mas o filho garante que ele jogava certo no Estádio Evaldão, em Paulistana, quase vizinha de Picos. Roberto mora no Fazendão desde 2006. Por acaso. Antes disso, jogava na escolinha de futebol que o pai tem em Picos.

Hoje se chama Heuchayer, em homenagem ao filhão, mas, na época, era a escolinha do Vasco na cidade de 70 mil habitantes onde o River e o Flamengo locais não têm vez com os grandes do Rio de Janeiro. Vascaíno, o segundo de três filhos homens sonhava jogar no time da cruz de malta. “Minha vontade era ir para o Vasco. Já tinha pedido a meu pai para me levar”, afirma.

GORDO – Mas o pai comprou passagem para Salvador e levou o filho para o Vitória, em 2005. “Eu tive passagem lá, e eles ficaram com frescura. Disseram que não fiquei porque eu estava acima do peso”, conta. Quilinhos perdidos, Roberto conta que voltou à Toca do Leão e foi novamente reprovado.

Só então tentou o tricolor. “Quando eu vim pra o Bahia, cheguei acima do peso também, mas viram meu potencial”. Ali, nascia o carinho pelo Bahia e uma certa rejeição pelo Vitória que dá para perceber na fala do garoto. Quanto ao potencial, o Bahia vê mesmo. Desde o início da temporada, o contrato já foi renovado até abril de 2012. Com informações do Correio

Bahia embarca nesta segunda para Brasília

Após golear o ABC por 4 x 0 sábado (06) em Pituaçu, o elenco do Bahia embarca na manhã desta segunda-feira às 9h20 para Brasília. Amanhã, o tricolor enfrenta o Brasiliense às 21 horas no Estádio Boca do Jacaré. Com 10 pontos ganhos em cinco jogos, o Bahia é o terceiro colocado na tabela da série B do Campeonato Brasileiro.

Contratações

A direção do Bahia confirma que continua mantendo entendimentos para a contratação de reforços, mas não confirmou os nomes que foram especulados pela imprensa durante a transmissão do jogo contra o ABC. Na relação estão os nomes do meia-atacante Luciano Henrique, do Sport de Recife, do meia Sérgio Mota e do atacante Hernani, ambos do São Paulo.

Zagueiro tricolor será julgado pelo STJD nesta quarta-feira

O zagueiro do Bahia, Evaldo, será julgado nesta quarta-feira (10) pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Se punido, o jogador pode pegar mais dois jogos de suspensão, pois já cumpriu a suspensão automática.

Evaldo foi expulso no jogo contra a Portuguesa, em São Paulo, quando o Bahia empatou em 0 a 0 com o time local. Porém, o zagueiro está liberado para atuar amanhã (9), contra o Brasiliense, em Brasília.

Deixe seu comentário

1 Trackback / Pingback

  1. scam

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*