Depois da festa, as marcas no estádio de Pituaçu

Marcas da goleada do Bahia sobre o Ipitanga estavam em Pituaçu. A arquibancada estava à espera dos 14 funcionários da Sudesb que daria uma geral, com inicio previsto para ontem à tarde e termino esta manhã. O pessoal contratado pelo Bahia limpou os sanitários já após o o jogo.

Uma das notas ruins ficou por para os danos em alguns assentos. Muitos deles, localizado atrás do gol, região onde se concentrou uma torcida organizada. De acordo com o coordenador auxiliar do estádio, Reneval Erikson, reflexo dos pulos sobre os assentos. Desta vez, serão feitos os reparos. “Fizemos duas reuniões para informar isto. Na próxima vez, vão ter que arcar com os custos” disse.

Cartilhas informativas foram distribuídas para evitar um fato costumeiro em estádios: torcedor urinando fora dos banheiros. Mesmo assim, ontemontem, um foi detido após fazê-lo em muro interno. Cinco mil cadeiras que estavam no deposito desde de sábado começaram a ser instaladas na parte leste (torcida do visitante) O Prazo é de cinco dias

Cota do Bahia foi de R$ 401 mil

Para o Bahia, no balanço final da festa do domingo passado, muito mais importante que a reinauguração do Estádio de Pituaçu, a alegria e o entusiasmo da torcida, e até a goleada de 4 a 0 sobre o Ipitanga, foi a cota de pouco mais de R$ 401 mil, resultado da arrecadação de R$ 576 mil. O suficiente para conscientizar a direção do clube de que R$ 30,00 será o preço médio do ingresso dos principais jogos da equipe em Pituaçú.

Muito mais do que os 14 meses que o clube ficou afastado da sua torcida nos jogos com mando de campo em Salvador, foi o “jejum” de cotas como esta, do dinheiro das arrecadações dos jogos do Bahia, que domingo teve público de 19 mil e 300 pagantes, mas que ao longo dos últimos meses, particularmente em todo 2008, tinha a média de 3 mil e 500 pagantes nos jogos pelo interior do Estado, particularmente, em Camaçari e Feira de Santana.Ainda não explicado

O próximo jogo do Bahia em Salvador, no Estádio de Pituaçu, será no dia quatro de fevereiro, uma quarta-feira, e o preço do ingresso será de R$ 20,00. O que ainda não está devidamente explicado pelos dirigentes, é se mais uma vez será preço único, ou se haverá a disponibilidade da meia-entrada no valor de R$ 10,00 para os estudantes devidamente credenciados com a carteira.

Mas é certo que nos clássicos contra o Vitória em Pituaçu, e o primeiro está marcado para o dia 22 de março, todos os jogos da fase decisiva do Campeonato Baiano, e a partir da 3ª fase da Copa do Brasil, independente do adversário, o ingresso vai custar R$ 30,00. Da arrecadação de domingo passado, de R$ 576 mil, foram descontados R$ 161 mil com despesas gerais, entre elas, pouco mais de R$ 17 mil, equivalentes a 5% da taxa de aluguel do estádio.

Burocraticamente, somente hoje os R$ 401 mil entram na conta do Bahia, mas totalmente comprometidos com dívidas do clube, entre elas, salários e gratificações em atraso aos jogadores que disputaram a Série B do Campeonato Brasileiro e continuam no clube para a temporada de 2009.Time deve ser o mesmo

Os jogadores do Bahia se reapresentaram ontem à tarde no Centro de Treinamentos do Fazendão, num ambiente de muita descontração e otimismo, depois da bonita festa de domingo passado em Pituaçu. O técnico Alexandre Gallo deve manter a mesma equipe que começou jogando contra o Ipitanga, sob a alegação de que o grupo precisa ganhar entrosamento, e que alguns jogadores com nível de “titular”, como o meia Léo Medeiros, ainda estão em fase de um melhor recondicionamento físico.

Os jogadores que atuaram mais de 45 minutos, na partida de ontem, fizeram um treino regenerativo, correndo em volta do gramado e fazendo exercícios na sala de musculação. Os demais atletas disputaram um minicoletivo, com o técnico Gallo. Com informações do Correio e Tribuna da bahia desta terça-feira

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*