Hoje é dia do BAHIA na Fonte Nova

Pouco importa o adversário. Qualquer que seja a partida do Bahia na Fonte Nova a expectativa é por um público sempre maior que o do jogo anterior e por mais um triunfo. Bater recordes de bilheteria e manter o aproveitamento de 100% em seu território é o mínimo que se espera de torcida e time tricolores no confronto programado para esta quinta-feira, a partir das 20h30, diante do Rio Branco.

Contra o ABC, no último domingo, foi por pouco. O primeiro gol da vitória por 2 x 0 só saiu aos 12min do segundo tempo graças ao erro do árbitro Juliano Lobato, que marcou pênalti em um lance que Nonato se jogou sobre um marcador. Os 38.019 pagantes vibraram com o sétimo triunfo tricolor em sete jogos na Fonte e ajudaram a estabelecer novo recorde de público na Série C, que também pertencia ao Bahia: 36.274 espectadores no dia 19 de agosto, contra o Nacional de Patos.

Embalado pela sequência de resultados positivos, o Bahia terá pela frente um adversário que não entram em campo há 18 dias. O campeão acreano jogou pela última vez na última rodada da segunda fase do torneio, quando venceu o Sampaio corrêa em casa por 1 x 0. Depois disso, restou ao clube aguardar a decisão do STJD sobre a irregularidade na inscrição de um jogasdor do Imperatriz. Com a eliminação do time maranhense, no julgamento de segunda-feira, o Rio Branco foi transferido do grupo 26 para o 25.

O Bahia terá apenas duas alterações em relação ao time que começou jogando contra o ABC: a volta do zagueiro Eduardo, que cumpriu automática, no lugar de Emerson. O volante Fausto, expulso, cede espaço para a entrada de Humerto. Inho, forte candidato a ganhar o lugar de Preto no meio-de-campo, contundiu-se e terá de ficar 10 dias afastado.

O Rio Branco não terá o meia Neném, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. ciente da força do adversário em seu território, o técnico João Carlos Cavalo aproveita para armar uma retranca, escalando um zagueiro colocando o zagueiro Rodolfo na vaga do meia.

BAHIA

Márcio Angonese, Carlos Alberto, Alisson, Eduardo e Adilson; Humberto, Preto e Cléber; Charles e Nonato

Técnico: Arturzinho

RIO BRANCO

Marcus Vinícius, Ley, Rodolfo, Donizete e Esquerdinha; Ico, Zé Marcos, Ismael e Testinha; Juliano César e Marcelo Braz

Técnico: João Carlos Cavalo

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*