Após estrear com gol, Zeca é apresentado no Vitória e fala sobre nova fase

"Passei por momentos muito difíceis, foram dois ou três anos muito difíceis.", disse.

Foto: Pietro Carpi / EC Vitória / Divulgação

Após estrear marcando gol no empate em 1 a 1 com o Santa Cruz, no último sábado, no Estádio Manoel Barradas, pela primeira rodada da Copa do Nordeste, o lateral-direito Zeca foi apresentado oficialmente nesta terça-feira na Toca do Leão. Na entrevista, o atleta revelado no Santos, e com passagens por Internacional e Bahia, explicou o choro na comemoração, disse sentir saudades da mãe e relatou os problemas que passou na vida.

 

“Acho que a gente passa por fases na vida, que qualquer atleta passa. Eu, como garoto de 25, 26 anos, passei por uma fase conturbada em minha vida. Só que isso me fez aprender. Depois disso, que aconteceu um episódio comigo, minha mãe pôde estar ao meu lado. Pude conhecer muitas partes dela, muito lado que não conhecia. Fiquei feliz de conhecer ela depois de uma turbulência. Conheci muito mais. Minha mãe me deixou com cinco anos, foi trabalhar fora, voltou para colocar o pão dentro de casa, e eu pude conhecer partes que não conhecia”, disse.

“Deus traz coisas para gente se conhecer melhor. Passada a fase da pandemia, minha mãe veio a falecer. Hoje eu tenho o entendimento de cada coisa que passei em minha vida. Passei essa fase turbulenta, mas aprendi. Cresci como homem, cresci como ser humano, cresci como atleta. Tenho certeza que me fez evoluir muito. O choro foi por ela. Toda vez que acontece de fazer um lance ou o gol, sinto a presença dela. O choro foi por ela”, complementou o atleta.

“Passei por momentos muito difíceis, foram dois ou três anos muito difíceis. Tive um ano muito bom no Inter, depois tive algumas lesões pequenas. Acho que, psicologicamente, eu precisava evoluir como pessoa, como homem, como irmão, como amigo. Precisava disso. Passei por diversas coisas que me fizeram crescer como atleta”.

O jogador garante que o ambiente no clube é muito bom. “Desde o primeiro dia, fui bem recebido. O ambiente é muito bom, um dos melhores que já trabalhei. Trabalho está sendo bem feito. É um começo que a gente tem que ser sincero, não está sendo fácil. A gente está dando a volta por cima com trabalho, com conversas. É natural ter cobrança, uma torcida fanática que vai estar com a gente. Vamos dar a volta por cima.”

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário