Impedido de registrar jogadores, Vitória tenta resolver nova pendência na FIFA

Presidente eleito para o triênio 2023/2025, Fábio Mota busca uma maneira de resolver o problema. 

Atletas dos times sub-20 e sub-23 alegam manutenção de salários vencidos. Jogadores do Vitória estão sem receber há mais de três meses
Foto: Pietro Carpi / EC Vitória / Divulgação

O Esporte Clube Vitória vai passar por uma situação idêntica a que passou no início do ano. Por conta de uma punição na FIFA pelo não pagamento de uma dívida ao atacante Walter Bou, o Leão ficou impedido de registrar jogadores no início desse ano, e por isso precisou montar o elenco na base da correria até o final de 2021. O clube está atualmente impedido de registrar novos jogadores por causa de uma dívida com o Boca Juniors, da Argentina, no valor de 330 mil dólares, cerca de R$ 1,7 milhão. Presidente eleito para o triênio 2023/2025, Fábio Mota busca uma maneira de resolver o problema.

 

“O Vitória precisa resolver a questão do Transferban. O Vitória está impedido de fazer inscrição, não contratação. Vamos seguir o planejamento de contratar e, depois, fazer a inscrição. Estamos conversando com o Boca Junior, 330 mil dólares é o valor da dívida. Vamos à CBF pedir mediação. Sabemos nosso deadline, até janeiro. Estamos buscando recursos para fazer isso”, explicou.

Agora que o Vitória vai voltar a disputar a Série B, o que implica em maiores valores depositados no caixa rubro-negro, o presidente demonstrou empolgação para montar um elenco mais qualificado.

“Eu prefiro falar em números. A quota da Série B é R$ 7 milhões. Você tem mais ainda referente às placas. Os clubes receberam em torno de 8 a 9 milhões. Se você dividir por 12 [meses], vão sobrar R$ 400 e poucos mil. Se você pega R$ 8 milhões, R$ 9 milhões, e divide por seis [meses], dá mais de R$ 1 milhão. Se você usar o dinheiro da Série B na Série B, você tem, de cara, mais de R$ 1 milhão só da Série B. Se a gente pegar o orçamento e dividir em 12, você vai ficar com o time do Baiano, Copa do Brasil e Nordeste igual ao time da Série B, que quer ir para a Série A. Recebemos, esse ano inteiro, R$ 400 mil.”

Autor(a)

Fellipe Costa

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: futebolbahiano2007@gmail.com

Deixe seu comentário