Clubes de futebol têm prejuízo bilionário por falsificação de uniformes

Aproximadamente 40% das camisas de time de futebol são vendidas de forma falsificada, segundo um estudo encomendado pela Associação pela Indústria e Comércio Esportivo (Ápice)

Reprodução/Instagram

A cada nova temporada, os clubes atualizam seus uniformes para os torneios. Mas, no Brasil, aproximadamente 40% das camisas de times de futebol vendidas são falsas. É o que indica um estudo encomendado pela Associação pela Indústria e Comércio Esportivo (Ápice), entidade criada por grandes empresas do setor de produtos esportivos do mundo, entre elas Nike, Adidas e Puma.

 

Somente no ano passado, a pirataria conquistou cerca de R$ 2 milhões de camisas de equipes de futebol no país. Já o faturamento das empresas com o comércio de produtos esportivos foi de R$ 9,1 bilhões. Dessa maneira, o prejuízo bateu a cifra idêntica: R$ 9 bilhões.

Por causa disso, foram comercializadas mais de 150 milhões de peças falsificadas. No quesito artigos de futebol, o prejuízo bateu R$ 2 bilhões em 2020, segundo levantamento do Fórum Nacional contra a Pirataria e Ilegalidade (FNCP). “A diferença de preço entre o produto original e o pirata é um dos elementos que gera essa comercialização em grande escala”, citou Renato Jardim, diretor-executivo da Ápice, em entrevista ao jornal Estado de S.Paulo.

Deixe seu comentário

Autor(a)

20/09/2022 às 16h20

Pedro Moraes

Jornalista, formado pela Universidade Salvador (Unifacs). Possui passagens em vários ramos da comunicação, com destaques para impresso, sites e agências de Salvador e São Paulo. Contato: [email protected]

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*