Sport faz acordo na CNRD para quitar dívida com Guto Ferreira

Com o acordo, o Sport evita possíveis punições na CNRD relativos ao processo de Guto

Apenas como efeito comparativo, quando na Chapecoense, clube anterior a sua chegada em Recife, Guto Ferreira comandou o time de Chapecó em 13 jogos com apenas 4 triunfos, oito derrotas e um empate no Brasileiro da Série A do ano passado. O treinador foi demitido após ser derrotado pelo Vitória dentro de casa levando o clube para 18ª colocação. Com a chegada de Claudinei de Oliveira, a Chapecoense encerrou o Campeonato Brasileiro da décima quarta posição.
Foto: Brenda Alcântara

O Sport chegou a um acordo na Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD) para resolver o pagamento da dívida com o técnico Guto Ferreira, que chega na casa dos R$ 914.808,55. O débito será parcelado em 15 vezes a serem finalizadas em outubro de 2023. A quantia é referente a salários atrasados, premiação pelo acesso à Série A, em 2019, e rescisão contratual. Com o acordo, o Sport evita possíveis punições, como proibição de registro de jogadores na CBF.

 

“No início de julho fomos intimados pela CNRD a pagar o processo de Guto. O Sport fez um plano de parcelamento, adequando-se à realidade do clube, e propôs pagar em 15 parcelas. Infelizmente, o técnico não aceitou, mas a CNRD entendeu que o plano era razoável e deferiu o nosso parcelamento. Agora, vamos iniciar a primeira parcela. Serão 15 no total”, afirmou o vice-presidente jurídico do Sport, Rodrigo Guedes, em entrevista dada ao site oficial do Leão.

“O importante que conseguimos com essa decisão não é apenas resolver mais um processo, mas o reconhecimento da própria CNRD nesse momento tão difícil do Clube. No processo, ela cita a nova postura do Sport e destaca que esse retrospecto recente confere a credibilidade de volta ao clube”, reforçou o vice jurídico.

Veja o reconhecimento da CNRD no processo

A CNRD deve reconhecer a conduta adotada pelo clube ao longo dos últimos meses. Diferentemente do que se via em outros momentos, é possível notar uma real intenção do clube em pagar as obrigações existentes perante a CNRD. Através de parcelamentos deferidos pela CNRD ou de acordos feitos diretamente com credores, estima-se que o clube já tenha pago cerca de R$ 3 milhões em dívidas apenas em 2022.

No entendimento da CNRD, é possível verificar que o clube tem feito esforços para sanar o substancial estoque de processos que tem perante a CNRD; além disso, o cumprimento tempestivo pelo clube de acordos e decisões emitidas em outros processos da CNRD mitiga preocupações que se possa ter sobre o risco de inadimplemento futuro, pois seu histórico recente lhe confere credibilidade acerca da maneira como tem encarado a gestão do seu passivo.

Nota-se que o Sport abandonou a postura belicosa de outrora e passou a adotar o diálogo com credores e postura construtiva perante a CNRD, o que permite ao órgão conferir o voto de confiança ao clube para beneficiar-se, neste caso em específico, de parcelamentos mais alongados do que os costumeiramente aplicados em outros processos.

Deixe seu comentário!

1 Trackback / Pingback

  1. Com reforços e Fonte lotada, Bahia encara o CSA de olho na vice-liderança

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*