Bahia firma termo com o MP para analisar criação de Plano Antirracista

Clube selou termo de colaboração com o órgão público para tentar produzir e exibir um Plano de Ação de combate ao racismo

O Esporte Clube Bahia estabeleceu um termo de colaboração com o Ministério Público Estadual na última quinta-feira (11). A proposta do clube e do órgão é avaliar a tendência da produção e apresentação de um Plano de Ação Antirracista. Mediante o termo, assinado pelo vice-presidente do Esquadrão de Aço, por seu diretor jurídico e pela promotora de Justiça Lívia Vaz, titular Promotoria de Justiça de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa do MP, o Tricolor concorda em tornar intolerável qualquer ato discriminatório.

 

A prática envolve condutas regidas em função da religião, raça, cor, cultura ou etnia. Além disso, o Bahia validou a permanência de campanhas de conscientização, assim como a elaboração de um programa de formação inicial e continuada de conteúdo antirracista. Atletas das categorias de base e profissional, assim como equipe técnica e de apoio, conselheiros, diretorias e terceirizados estão inseridos.

Em resumo, o termo de colaboração envolve o entendimento de que a prática de racismo no futebol é “cotidiana e exige a adoção de medidas de combate ao racismo e de promoção da igualdade racial, não apenas por parte do Poder Público, mas também das instituições de natureza privada”.

Deixe seu comentário

Autor(a)

11/08/2022 às 22h35

Pedro Moraes

Jornalista, formado pela Universidade Salvador (Unifacs). Possui passagens em vários ramos da comunicação, com destaques para impresso, sites e agências de Salvador e São Paulo. Contato: [email protected]

2 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*