Vitória publica balanço financeiro de 2021 com déficit de R$ 42 milhões

Em relação ao passivo total, ele saltou de R$ 239.236 milhões em 2020, para R$ 272.288, em 2021.

Foto: ECV

Nesta quarta-feira, o Conselho Diretor do Esporte Clube Vitória divulgou o balanço patrimonial do exercício encerrado no dia 31 de dezembro de 2021, e suas demonstrações. Segundo o clube, os resultados estão apresentados consolidados com o do Vitória S/A, atendendo uma demanda antiga do Conselho Diretor e do Conselho Fiscal do Clube, fato apontado, inclusive, nas ressalvas nos balanços registradas pela auditoria independente nos exercícios anteriores.

 

Em relação ao passivo total, ele saltou de R$ 239.236 milhões em 2020, para R$ 272.288, em 2021. Em relação ao Profut, o saldo negativo foi de aproximadamente R$ 3 milhões, porque o Vitória havia deixado de pagar regularmente as parcelas desde março de 2017. Sobre o IPTU, o clube informa que o impacto no balanço financeiro foi por volta de R$ 24 milhões e está relacionado ao pagamento de parcelas que estavam atrasadas desde janeiro de 2021.

“Esses eventos e condições, juntamente com outros assuntos descritos na nota explicativa nº 2.2., indicam a existência de incerteza relevante que pode levantar dúvida significativa quanto à capacidade de continuidade operacional do Clube”, diz análise.

A auditoria aponta que, diante da dificuldade financeira, o “Vitória vem sendo administrado com enorme escassez de recursos e continua o plano de redução drástica nas despesas”. Para 2022, o clube definiu orçamento de R$ 29 milhões, inferior aos R$ 35 milhões de 2021.

VEJA A NOTA ABAIXO

“O Resultado contábil do Esporte Clube Vitória e Vitória S/A foi negativo em R$ 42.320 mil, e decorreu basicamente de 03 fatos contábeis registrados no exercício, todos eles em função do não pagamento de obrigações tributárias, cíveis e trabalhistas vencidas ao longo de 2021, conforme detalhamos a seguir:

PROFUT – Receita Federal e Procuradoria da Fazenda Nacional, decorrentes da inadimplência total das parcelas a partir de julho/21 e pelo pagamento parcial das parcelas a partir de março/2017. Impacto no balanço na ordem de R$ 3.267 mil;

IPTU – Reversão dos valores de benefícios fiscais, e aumento da provisão para pagamento do ISS/Bingo e RMU-Permissão de uso, devidos à Prefeitura Municipal de Salvador (BA), pelo não pagamento das parcelas vencidas a partir de janeiro/21. Impacto no balanço na ordem de R$ 24.951 mil;

Contencioso Judicial – cível e trabalhista – Aumento das provisões com impacto na ordem de R$ 15.045 mil (originadas em gestões anteriores ao exercício 2021).

Diante dos números acima, verifica-se que sem os efeitos destes registros o Esporte Clube Vitória, apresentaria resultado contábil positivo de R$ 943 mil no exercício 2021, demonstrando que o Clube com uma gestão competente, transparente e trabalho conjunto, tem condições de reverter estes resultados no médio prazo e retomar o equilíbrio econômico e financeiro da instituição.

Fabio Rios Mota

Presidente em exercício do Esporte Clube Vitória”

Autor(a)

Fellipe Amaral

Administrador e colunista do site Futebol Bahiano. Contato: [email protected]

Deixe seu comentário