Dois meses após cair na Série A, Bahia flerta com rebaixamento no Baianão

A sucessão de erros da diretoria culminaram com o rebaixamento à Série B

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O torcedor do Esporte Clube Bahia, que já sofreu muito num passo não tão distante, volta a viver um pesadelo. Acredito que nem mesmo o mais pessimista do torcedor imaginaria que o clube estaria na situação que se encontra atualmente, mesmo após muita luta para escapar da “Era das Trevas” e as inúmeras promessas do grupo da “Democracia”. Desde 2019, o Esquadrão vem acumulando fracassos, com eliminações precoces na Sul-Americana, Copa do Brasil e Copa do Nordeste, além das campanhas pífias nos Brasileiros.

 

O único momento de alegria foi o título da Copa do Nordeste em 2021. Fora isso, só decepções, até mesmo os últimos títulos estaduais não deixaram a torcida feliz pela forma como foram conquistados, com “as calças na mão” diante de Bahia de Feira (2019) e Atlético de Alagoinhas (2020).

A sucessão de erros da diretoria culminaram com o rebaixamento à Série B no ano passado. Vale frisar que a queda poderia ter vindo em 2019 com a queda de rendimento no 2º turno com Roger Machado, só não veio por causa da gordura acumulada no primeiro turno. Em 2020, o time escapou no apagar das luzes sob o comando de Dado Cavalcanti. Mas em 2021 não teve jeito.

Um início ruim de Brasileiro com Dado, passando por Diego Dabove e terminando com Guto Ferreira. Uma Série A com adversários de menor poderio financeiro, casos de Atlético-GO, Cuiabá, América-MG, Juventude, entre outros, mas prevaleceu a incompetência da atual gestão, que contratou mal, não reforçou quando era necessário, trouxe um executivo de futebol que vinha de um trabalho ruim no Sport, atrasou salários e direitos de imagem, não teve diálogo com o elenco para tentar reverter a situação, e dentro de campo o que se viu foi um time sem brio, sem garra, sem respeito à camisa do clube, com raras exceções.

A pandemia veio e atingiu todos os clubes, porém, apenas o Bahia utiliza isso como desculpa insistentemente. Acabou 2021 de forma melancólica, com a queda à Série B do Brasileiro, e dois meses depois, eis que o Bahia volta a flertar com o rebaixamento, mas agora no fraquíssimo Campeonato Baiano.

Após a derrota para o Atlético de Alagoinhas por 2 a 1, o Esquadrão caiu para o 7º lugar, cinco pontos abaixo do G-4, ou seja, praticamente já sem chances de classificação à semifinal. Porém, correndo o risco de cair para a SEGUNDA DIVISÃO DO BAIANO, dois pontos acima do Z-2, restando dois jogos (Jacuipense e Vitória da Conquista), um fato vergonhoso para a história do clube, e que só aumenta a pressão e as críticas em cima da diretoria, especialmente do presidente Guilherme Bellintani.

Nesse momento, o Bahia ocupa o sétimo lugar, com 6 pontos, empatado com a Juazeirense (8º colocado), e dois pontos acima do Doce Mel, primeiro dentro da zona, com 4 pontos. O Vitória da Conquista é o lanterna com 1 ponto. Vale destacar que todos esses times ainda entram em campo pela rodada de número 7, ou seja, o Esquadrão pode terminar a rodada dentro da zona de rebaixamento caso Doce Mel vença e Juazeirense ao menos empate.

Deixe seu comentário!

4 Comentário

  1. Eu me.pergunto: E se o time do Bahia estiver jogando para perder? piorar a situação financeira do clube e forçar a venda ainda nesta gestão? Algo me parece muito estranho nesta situação esdrúxula desde a reta final do BR21.

  2. Falar deste presidente é falar de vergonha, humilhação, triste, perda de indentidade, precisa expulsar logo esta praga, bem como os puxas sacos e este bando que se diz jogador de futebol, apenas 2 escapam, Danilo e Rodalega

  3. Alguém conhece algum clube de futebol que tenha demitido o seu mascote? Kkkkkk o time de belinho conseguiu essa proeza , mais uma kkkkk

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Rodrigo Chagas projeta grande jogo entre Jacuipense e Barcelona-BA
  2. Vitória e Juazeirense conhecem data dos seus jogos pela 2ª fase da Copa do Brasil

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*