Bellintani volta a criticar arbitragem, cita má-fé e detona Gaciba: “Já vai tarde”

"a arbitragem brasileira inaugurou uma nova etapa, a do fundo do poço"

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Na manhã desta sexta-feira, em entrevista ao programa Redação SporTV, o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, voltou a detonar a arbitragem da partida de quinta-feira, contra o Flamengo, no Maracanã, que terminou com vitória por 3 a 0 dos cariocas. O jogo ficou manchado por um erro de arbitragem, que gerou revolta dos jogadores, treinador e diretoria do Esquadrão, além disso, antecipou a saída de Leonardo Gaciba. que foi demitido pela CBF da Comissão de Arbitragem nesta sexta. Bellintani disse que a arbitragem brasileira inaugurou a etapa “do fundo do poço” e que o Bahia foi vítima de má-fé do árbitro Vinicius Gonçalves.

 

“Para mim, o que aconteceu ontem marcou uma nova fase da minha leitura. Até ontem, eu acredita que era possível que a quantidade de erros concentrados em diversos clubes, em diversas circunstâncias, eram fruto de má preparação dos árbitros. Mas, para mim, ontem, a arbitragem brasileira inaugurou uma nova etapa, a do fundo do poço. O que houve foi uma briga com o fato. O árbitro colocou uma mão pendurada no peito do jogador. Em nenhum lugar do mundo eu vi um ser humano nascer com a mão no peito. E, para mim, houve não só erro, houve má-fé. Houve vontade de fazer equivocadamente procedimento”, disse.

Bellintani lembrou de jogos anteriores, quando o time foi prejudicado contra Juventude e São Paulo, em erros reconhecidos pela Ouvidora da CBF. “Nós fomos prejudicados nos dois jogos anteriores. Dois pênaltis atestados pela Ouvidoria da arbitragem da CBF. Reconheceu que foi pênalti nos dois jogos. E eu não posso acreditar que alguém ache que foi braço. Alguém, indo no VAR, olhar e achar que foi braço está de má-fé.”

O mandatário também criticou a mudança na escala do árbitro para a partida sem aviso da CBF. “Começou no dia anterior, quando houve a mudança na escala do árbitro sem motivo justificável. A CBF, simplesmente, alterou o árbitro do jogo sem nenhuma explicação, em descumprimento total ao estatuto do torcedor. Não chegou [comunicado]. Soube disso [que o árbitro escalado se machucou], alguém me falou. Não chegou que tipo de contusão foi essa. Não chegou comunicação formal sobre esse tema. Que contusão foi essa? Não estou sabendo. E, mesmo que tenha havido, a escolha do substituto tem que obedecer o critério da escolha da escala, com audiência ao vivo, e tem que explicar publicamente. Para mim, a crise começou ali. Uma arbitragem das mais grosseiras e bizarras.”

Bellintani também comentou a saída de Leonardo Gaciba, e não poupou críticas. “Gaciba não deveria ter começado o campeonato. Ele não tem condição cognitiva. Tem pessoas que não têm preparo para determinadas funções. Isso é um fato da vida. Ele não tem condição cognitiva de comandar a arbitragem brasileira. É um processo educacional, sistêmico. Os árbitros brasileiros, que, em geral, são honestos, estão sendo jogados na lama por um processo coordenado pelo senhor Leonardo Gaciba. Já vai tarde. O que a gente precisa ficar atento é qual será o próximo emprego do senhor Leonardo Gaciba e quem ofereceu proteção a ele por tanto tempo”, completa.

Deixe seu comentário!

1 Comentário

  1. Bela colocação por tudo … E faço de suas palavras a mesma opinião SOBRE A SUA GESTÃO… Ou seja vc não tem condições COGNITIVA de ser o PRESIDENTE DO BAAAEEEA .. E LUTAR CONTRA O REBAIXAMENTO …

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*