Técnico do Vitória presenteia jogadores com livros e cria o “Atleta da Semana”

Wagner Lopes criou o hábito pela leitura quando trocou o futebol brasileiro pelo japonês

Como forma de estimular a leitura do elenco do Esporte Clube Vitória, o treinador Wagner Lopes criou o “Atleta da Semana”, onde premia jogadores com livros. Segundo informação divulgada pelo clube, cinco jogadores já foram premiados desde que Wagner lançou a ideia. A escolha, destaca o treinador, é feita com base na meritocracia. Ou seja: os mais trabalhadores e dedicados, que se destacam em treinos e nos jogos, acabam premiados pela comissão técnica responsável pela votação.

 

O capitão Wallace, “campeão” de leitura entre eles, não só apoia como procura incutir no companheiro o gosto pela busca do conhecimento. Wallace, por sinal, quando jogou em 2013 no Flamengo, foi responsável pela elaboração de uma biblioteca para os atletas das categorias de base do clube.

“Eu vim de uma família humilde, com pouca formação, pouca informação também, e o Vitória, sem dúvida, foi a porta mais importante para que abrisse esse mundo e entendesse a importância do conhecimento. Na minha geração tinha muitos universitários e acabava que um ia puxando o outro”, comenta Wallace que chegou aos 15 anos de idade ao Vitória e morou no clube.

Wagner Lopes criou o hábito pela leitura quando trocou o futebol brasileiro pelo japonês, onde ficou por 15 anos e ganhou dupla nacionalidade: brasileira e japonesa.

“É uma coisa bem flexível, não é uma obrigação. A gente busca presentar para ver se desenvolve no jogador o gosto pela leitura, pelo conhecimento”, explica o treinador. “A busca pelo conhecimento ela é insecessante, não para nunca. Eu vejo que a disputa (entre os jogadores) é acirrada. Quando um recebe o livro, fala que ‘semana que vem eu ganho de novo’. É estimulante”, acrescenta.

O anúncio do escolhido é feita antes dos treinos, quando estão todos reunidos com o Wagner Lopes e a comissão no campo, e o premiado é saudado com aplausos.

“Wagner tem essa questão educacional, pedagógica, de entender o atleta como ser humano e eu vejo como muito legal isso”, destaca o capitão Wallace, cujo autor preferido é o inglês George Orwell, que escreveu “A revolução dos bichos”.

Wagner já presenteou os jogadores com os livros “Gestão do Futebol” (Wallace), “Jogando com os pés, treinando com a Cabeça” (Cedric), “Preparação Psicológica no Esporte”, volumes I e II (Ronaldo e Lucas Arcanjo), “Psicologia do Esporte: Aspectos em que os Atletas Acreditam” (João Pedro), e o mais recente vencedor foi o meia Eduardo que recebeu como livro de cabeceira “Formando Equipes Vencedoras”, do ex-treinador da Seleção Brasileira campeã mundial em 1994 nos Estados Unidos, Carlos Alberto Parreira, em depoimento ao jornalista Ricardo Gonzalez.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*