Bahia quebra Tabus e longa invencibilidade do Ceará na Copa do Nordeste

A última vez que o Ceará sofreu dois gols como mandante foi na reta final do Brasileirão

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

O Esporte Clube Bahia fez o que o torcedor tricolor esperava, ainda que reconhecêssemos as dificuldades naturais por se tratar de um adversário respeitável e que atravessa um bom momento. Foi lá em Fortaleza, devolveu ao Ceará a derrota sofrida em Salvador, levou a solução do problema para as cobranças dos pênaltis e venceu pelo placar de 4 x 2, e desta forma sofrida, mas sobretudo merecida, sagrou-se tetracampeão da Copa do Nordeste, status antes apenas pertencente ao Esporte Clube Vitória, que aliás, há dez anos não conquista o título, muito menos foi a final da competição neste período.

 

Além do título, o Bahia quebra alguns tabus e também mais importante, pois potencializa a conquista ao impor ao Ceará a quebra de uma invencibilidade de 23 jogos nesta competição, e foi além, quando marcou dois gols em uma partida no time cearense em toda a temporada 2021 que contava com uma defesa considerada intransponível.

A última vez que o Ceará sofreu dois gols como mandante foi na reta final do Brasileirão. O time perdeu por 3 a 1 do Fluminense pela 36ª rodada da Série A, ainda neste ano, no dia 15 de fevereiro. Na atual temporada, a defesa do Ceará tem sido um dos pontos fortes da equipe. Com Guto Ferreira no comando, a defesa sofreu oito gols, contando com os dois da final contra o Bahia.

A dupla Luiz Otávio e Messias, que só havia sofrido um gol em oito jogos, e na Copa do Nordeste não havia sofrido nenhum em seis jogos, desta levou dois gols justamente num momento crucial já que lhe custou o sonhado tricampeonato da competição regional. Messias, inclusive, foi o responsável pelo pênalti que abriu caminho para o triunfo tricolor.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*