Bahia deve voltar a ter jogos transmitidos apenas pela Rede Globo

Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Os problemas decorrentes do assolamento da pandemia do novo coronavírus segue produzindo mortes entre a população e estragos no futebol. De acordo o jornalista Robson Morelli, do Estadão, a Turner enviou uma carta no dia 3 para os oito clubes com quem tem acordo até 2024 para a transmissão em TV fechada dos jogos do Campeonato Brasileiro 2020. Segundo o jornalista, a pretensão é abrir negociações para o rompimento do contrato. Portanto, é provável que os clubes readquiram seus direitos e os repassem para a Globo que transmite seus jogos em TV fechada através do Pay Per View. A carta é sigilosa. Ainda segundo o jornalista, o teor do documento é confidencial, com multa pesada para quem abrir o bico e quebrar a cláusula.

 

Mesmo aqueles dirigentes mais solícitos se recusaram a falar abertamente sobre o assunto. “Posso falar de tudo, menos desse assunto. Peço desculpas” disse ao Estado o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz.

Na mesma linha responderam seus pares do Bahia e Ceará. O presidente do Santos, José Carlos Peres, abriu o jogo. “Os clubes estão perdendo muito dinheiro com a Turner e penso que ela também está perdendo dinheiro com o futebol brasileiro. Vamos ouvir e negociar. Penso que os lados estão querendo a rescisão”, disse.

Na carta, a Turner aponta para uma série de regras contratuais que os clubes estariam quebrando, principalmente no que diz respeito às transmissões dos seus jogos na TV aberta – os oito clubes assinaram com a empresa de Ted Turner para mostrar as partidas na TV fechada (Esporte Interativo, TNT e Space) e com a Globo para a TV convencional. Na guerra das transmissões, com jogos liberados para as praças, TVs abertas e fechadas, horários mudados em função desses acordos, a Turner não estaria mais contente com seus números de audiência e faturamento. Nem mesmo com a atitude de seus parceiros do futebol brasileiro. A empresa acredita que os clubes não honraram seus compromissos e se dobraram para exigências da outra emissora.

Ela espera o momento em que será pressionada pelos parceiros comerciais. Viu sua audiência despencar em até 85% no fim de 2019, o que inviabilizaria seus negócios no País. Não teria mais sentido em ficar. A empresa também tem a percepção de que os clubes estão forçando a barra para que o contrato seja rescindido antes de o torneio começar. A segunda carta tem essa finalidade: encontrar caminhos.

“A Turner enviou na sexta-feira, 3 de abril, uma notificação aos clubes com os quais mantém contrato para exibição da Série A do Campeonato Brasileiro 2020. Essa carta reitera o que já foi colocado aos clubes em novembro de 2019, sobre o que não tivemos quase nenhuma resposta, e pede que venham conversar com a Turner para solucionar questões pendentes. Há certas obrigações que a Turner deseja reforçar incluindo compromissos assumidos pelos clubes que são essenciais para que a Turner crie um modelo de negócios sustentável. A Turner propõe uma nova conversa, ao mesmo tempo em que não descuidará das ações necessárias à defesa de seus direitos. A Turner sempre privilegiou o diálogo e acredita numa solução conjunta.”

Daí a necessidade de se reunir com os clubes para saber o que eles querem. O presidente do Santos foi claro ao afirmar que a quebra de contrato é o melhor caminho. Há insinuações de que as duas partes gostariam de romper o acordo, cujas cláusulas contêm multa para os dois lados. Mas nenhuma deles quer dar o primeiro passo, talvez com receio de como isso poderia ser interpretado juridicamente.

Não seria demais supor que a empresa entende que os times quebraram regras do acordo, inviabilizando ganho e crescimento da companhia, de modo a abrir brechas para sanções previstas e até o rompimento do contrato, com ônus para os times. Se se sentir prejudicada, pode exercer o direito de ser ressarcida. É isso que os clubes temem e vão tratar de discutir a partir desta semana. Ninguém quer pagar ninguém.

O dinheiro do futebol desapareceu com o cancelamento das atividades, disputas e torneios por causa da pandemia do novo coronavírus. As empresas estão com dificuldades para honrar seus compromissos. A Globo, conforme noticiado, parou de pagar para os times que disputam os Estaduais. Todos os torneios foram interrompidos sem data para voltar.

Os times envolvidos são Palmeiras, Santos, Internacional, Bahia, Ceará, Coritiba, Fortaleza e Athletico-PR. O rompimento, independentemente das discussões jurídicas que isso vai ocasionar, dará de volta aos clubes o direito da transmissão de suas partidas em TV paga. A partir daí, eles poderão revendê-los A Globo/SporTV é o caminho mais natural, mas não o único. Qualquer outra emissora de canal fechado poderia entrar na negociação.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*