Alvo do Bahia, meia do Ceará fala sobre cláusula e deixa futuro em aberto

"Tem essa cláusula, mas tem alguns outros adendos ali", disse

Após anunciar o meio-campista Daniel, que se destacou pelo Fluminense na temporada 2019 sendo líder de assistências do time com 10 passes para gol, o Esporte Clube Bahia agora trabalha para contratar um meia ofensivo que jogue mais próximo ao gol e chegue para vestir a camisa 10, carência no time de Roger Machado. O nome ventilado desde novembro é de Thiago Galhardo, destaque do Ceará no Campeonato Brasileiro da Série A com 12 gols marcados em 34 jogos. Porém, apesar de ter contrato até o dia 31 de dezembro, existe uma cláusula de renovação automática, ou seja, para tirar o jogador do Vozão, o Esquadrão precisa pagar a multa ou chegar a um acordo com o clube cearense.

 

Entretanto, ainda segundo o portal, os documentos preveem multa por rescisão contratual milionária. Os valores não foram revelados. Além do Bahia, outro que demonstrou interesse foi o Fluminense, mas pela enorme valorização, o atleta deve ter recebido sondagens de muitos clubes. O jogador falou sobre a cláusula, mas frisou que existem outros adendos. Além disso, destacou que tem o desejo de ficar, porém, não confirmou a permanência e como – segundo ele – o futebol é dinâmico, deixa o futuro em aberto.

“Tem essa cláusula de renovação, mas tem alguns outros adendos ali. Deixei claro para o presidente o meu desejo de ficar, que eu estava muito feliz, só que o futebol é muito dinâmico”, disse Galhardo em entrevista ao canal SporTV.

Recentemente, ele foi questionado sobre seu futuro após o término do Campeonato Brasileiro, e desconversou: “O que mais quero agora é curtir meus filhos, minha família e as férias. Vou colocar a cabeça no lugar, vou aproveitar a família e deixar os empresários agora trabalharem. Juntos com o clube vão ver o que é melhor para o clube e para mim para que a gente possa seguir da melhor maneira possível”, disse.

Natural de São João del-Rei (MG), Thiago Galhardo do Nascimento Rocha tem 30 anos e surgiu na divisão de base do Bangu. Foi no Bangu, em 2010, que o meia se destacou e chamou a atenção do cenário nacional. As passagens pelos rivais Botafogo e Vasco não tiveram tanto destaque, e ele acabou marcado por algumas polêmicas. Passou ainda por Comercial, América-RN, Remo, Boa Esporte, Cametá, Brasiliense, Madureira, Coritiba, Red Bull Brasil, Ponte Preta. Fora do Brasil, atuou no ALbirex Niigata do Japão em 2017, antes de retornar ao Brasil para defender o Vasco da Gama, onde ficou até meados de 2019 quando foi repassado ao Ceará. Pelo Vozão, marcou 12 gols em 34 partidas este ano. Antes, havia marcado 2 gols em 14 jogos pelo Cruz-Maltino.

LEIA TAMBÉM

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*