Roger elogia atuação do Bahia contra o Avaí: ‘Vencemos com autoridade’

"Demonstramos hoje, estando dentro do G-6, que é uma possibilidade real"

Foto: Reprodução

O Esporte Clube Bahia emplacou o segundo triunfo seguido no Campeonato Brasileiro da Série A ao vencer nesta segunda-feira o Avaí, por 2 a 0, no Estádio da Ressacada, resultado que colocou o Esquadrão no sexto lugar com 37 pontos, ultrapassando Grêmio e São Paulo. Após o jogo, em entrevista coletiva, o técnico Roger Machado elogiou bastante a atuação do Bahia, destacando a consistência do time e o triunfo com autoridade. O treinador também frisou que é o 12º jogo que o Esquadrão não sofre gol na competição, além de ter elogiado bastante os autores dos gols: Élber e Nino Paraíba, ambos anotando no primeiro tempo, aos 24 e 26 minutos.

 

“Vencemos com autoridade. Demonstramos hoje, estando dentro do G-6, que é uma possibilidade real. Nos dois confrontos, em Salvador e agora aqui, fora de casa, conseguimos seis pontos importantes, que nos colocaram no G-6 até agora. Belo jogo, consistente. Temos 12 jogos sem sofrer gol. Sempre digo aos atletas que, se eu estou com zero no placar, tenho mais chance de vencer. Nino fez uma bela partida, gol também. Élber voltando a ser titular no seu segundo jogo com gols. Demos um descanso para o Gilberto, que vinha contribuindo com os gols das vitórias. Agora a artilharia está trocando um pouco de mãos”

Veja a análise do treinador sobre os 90 minutos.

“Quando, coletivamente, a equipe anda bem, as individualidades aparecem naturalmente. Douglas vem fazendo temporada em altíssimo nível, assim como Nino, que hoje participou dos dois gols. A construção coletiva dos gols me interessa, assim como defesas que Douglas faz são, de certa forma, ajudadas pelo sistema defensivo. Imaginar que adversário, em casa, não vá tentar impor seu jogo é surreal. Mas que esse jogo seja controlado, e a gente possa coletivamente controlar a partida. Vento atrapalhou no segundo, a bola volta um pouco. Mas, no primeiro tempo, também nos ajudou, então fica 50% para cada lado.”

“Douglas começou a municia-los. Começamos a sofrer um pouco com as bolas cruzadas na área, mas o bom posicionamento defensivo e Ronaldo… Eu pedi a ele para encurtar o espaço quando Douglas pegasse a bola, e isso fez com que Douglas andasse mais para trás para pegar a bola. Assim tiramos ele da zona perigosa. Trocar os jogadores mais desgastados, para segurar mais a bola”

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*