Tencati lamenta não encerrar jejum, mas valoriza classificação do Vitória

Vitória chegou a 11 jogos seguidos sem vencer em 2019

FOTO: MAURÍCIA DA MATTA / EC VITÓRIA

O treinador Cláudio Tencati completou seu segundo jogo à frente do Esporte Clube Vitória que aos poucos vai se adaptando ao novo comandante, mas ainda parece aquele time de Marcelo Chamusca. Neste sábado (30), a equipe não fez uma partida de encher os olhos e voltou a empatar no Barradão, agora contra o Náutico, por 1 a 1, pela última rodada da fase de grupos da Copa do Nordeste.

Ainda que tenha alcançado a marca de 11 jogos sem vencer, o sábado foi de comemoração por parte da torcida rubro-negra, já que o empate foi suficiente para garantir a classificação para as quartas de final do Nordestação, sendo beneficiado pela derrota do Salgueiro contra o Ceará em Pernambucano.

Após a partida, Tencati lamentou mais um empate, afirmou que o time queria o triunfo, porém, valorizou o resultado que acabou sendo decisivo para a classificação do Leão que chega nas quartas de final sem sequer ter vencido um jogo na primeira fase (7 empates e 1 derrota).

Veja abaixo o que falou o treinador na entrevista coletiva:

 

“A gente entende que a classificação foi fundamental para apagar momentos anteriores. Contra o ABC empatamos, mas tinha um peso do pênalti desperdiçado. Mas sentiram que jogaram melhor. Esse jogo de hoje queríamos ganhar, não veio, mas veio a classificação. Faz a compensação. O mais importante era classificar. O time conseguiu ter êxito, cumprimos a meta, agora queremos um pouco mais. Será uma batalha contra o Fortaleza. Na minha opinião, [a classificação] pode somar muito. Temos que entender que o empate foi importante para a classificação”

“Queríamos ganhar o jogo, propomos isso já no início do jogo, não à toa que saímos com o placar a frente. A atitude da equipe foi o jogo todo, só em um momento que baixamos as linhas, desorganizamos e sofremos o gol. Mas em comportamento o time não sentiu o gol do empate, procurou se organizar, buscou o resultado, buscou criar. O intervalo foi importante porque procurei falar individualmente e coletivamente. Os jogadores estavam com autoestima baixa. Hoje não tem mais isso. Pode perceber pelo jogo em si. As atitudes foram diferentes. Claro que tem que evoluir. Algumas coisas que sabemos que temos que evoluir para querer algo a mais, inclusive contra o Fortaleza. Mas a classificação foi importantíssima. Tivemos dois momentos de desclassificação, na Copa do Brasil e no Campeonato Baiano. Então, para o torcedor e para o clube ficou muito ruim. A classificação foi importante”

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*