Bellintani avalia ano do Bahia e comenta renovação de Enderson Moneira

"Avalio como um ano bem positivo", disse o presidente

Entrevistado na noite desta segunda-feira (26/11) pelo repórter Nilson Luiz, na rádio Itapoan FM (97,5), o presidente Guilherme Bellintani fez uma avaliação do ano do Esporte Clube Bahia, o qual ele avalia como bem positivo, e planeja um 2019 muito melhor do que foi esse ano. O mandatário disse que sempre acreditou que o Bahia terminaria distante da zona de rebaixamento, entre 13° ou 14°, ou no mais otimista entre os 10. Lembrando que o tricolor é o 11° com 47 pontos, podendo superar a campanha de 2017.

“Avalio como um ano bem positivo. Desenvolvemos um planejamento estratégico para os próximos três anos, baseado em tudo que discutimos com os sócios na campanha. Foram vários compromissos que assumimos e muitos já foram cumpridos. Outros já começamos a cumprir e alguns ainda não cumprimos. Mas, a hora é de humildade, não é de se sentir poderoso, de achar que o clube está pronto. É hora de deixar os pés no chão e planejar o Bahia para 2019 melhor do que foi esse ano. Sempre acreditamos que o Bahia terminaria numa posição razoavelmente distante da zona de rebaixamento. Sempre que o Bahia perdeu, foi no máximo de 2 a 0 e sempre lutando em campo. Em todas as projeções, de forma pessimista, acreditávamos que o Bahia ficaria em 13º ou 14º. Nas mais otimistas, entre os dez primeiros colocados”, disse.

Bellintani também falou sobre o processo de renovação do contrato de Enderson Moreira. O mandatário disse estar satisfeito com o treinador e o aproveitamento da equipe sob o seu comando. Veja abaixo:



“Estamos, não só em relação a treinador, como atletas que estão encerrando contratos, deixando para depois do último jogo. Estamos satisfeito com o treinador. Apostamos em um treinador que tem excelentes estatísticas, resultados em campo. Um treinador que tem aproveitamento muito bom pelos clubes que passou. Ele chegou de mansinho, como mineiro que é, e foi conquistando seu espaço e reconhecimento dos torcedores. Acredito que sim. É um caminho natural, mas temos muito o que conversar ainda”, finalizou.

LEIA MAIS:

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*