Bahia busca manter tabu histórico contra o Ceará em casa na Série A

Bahia nunca perdeu para o adversário em Salvador pelo Brasileiro

Além de Sport-PE e Vitória, Bahia e Ceará fazem o outro duelo de nordestinos nesta quarta-feira, às 20h (de Salvador), pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, e assim como o jogo entre os rubro-negros, Esquadrão x Vozão também se trata de um confronto direto, não só para seguir em busca da meta necessária para eliminar as chances de rebaixamento, como também de olho em uma vaga entre os classificados para a Copa Sul-Americana.

Apenas três pontos separam os dois. O Tricolor Baiano é o 11º com 41 pontos enquanto o Vovô aparece em 14º com 38 pontos. No duelo pelo 1º turno do Brasileirão, o Bahia venceu o Ceará, por 2 x 0, no Estádio Presidente Vargas, diga-se, este foi o primeiro triunfo do Esquadrão como visitante na competição atual.

O Esporte Clube Bahia entra em campo para manter um TABU histórico contra o Ceará. Jogando em Salvador pelo Campeonato Brasileiro, o Esquadrão jamais perdeu para o adversário cearense. Foram 9 jogos em solo baiano, pelo Brasileiro de 1959 a 2018, com 6 triunfos e 3 empates.

No total, dentro e fora de casa, foram 17 confrontos, também com vantagem para o Tricolor Baiano que conquistou 8 triunfos contra 3 do time cearense. Ainda houve 6 empates. O Bahia marcou 22 gols e o Ceará 17.

A história do confronto é antiga e começou em 1938 com um amistoso disputado no Ceará e vencido de goleada pelo Tricolor por 4 a 0. De lá para cá foram 60 partidas, com 24 triunfos do Bahia, 16 do Ceará e 20 empates. O Esquadrão de Aço marcou 79 gols e sofreu 63.

Atuando em Salvador, o Esquadrão de Aço leva vantagem. Foram 27 jogos, contabilizando todos os campeonatos, com 14 triunfos do Bahia, 3 vitórias do Ceará e 10 empates. O Bahia marcou 38 gols e sofreu 20. Com mando de campo do rival nordestino foram 33 partidas com 10 triunfos do Bahia, 10 empates e 13 derrotas. O Tricolor marcou 41 gols e sofreu, 43.



Bahia com dúvidas para enfrentar o Ceará; Veja a provável escalação

LEIA MAIS

Deixe seu comentário