Presidente do Corinthians é investigado e denunciado por crime tributário

Presidente do Corinthians e deputado federal (PT-SP), Andrés Sanchez tem até dez dias para se defender da acusação de crime tributário, denúncia feita em dezembro de 2017 pelo Ministério Público e aceita pela Justiça Federal de São Paulo, tornando o corintiano réu, em despacho assinado pela juíza federal Louise Vilela Leite Filgueiras Borer.  O caso está sob responsabilidade da 8ª Vara Criminal da Justiça Federal de São Paulo.

Segundo a denúncia, Andrés e seus sócios – José Sanches Oller, Isabel Sanches Oller e Itaiara Pasotti – teriam usado “laranjas” para abrir a empresa Orion Embalagens, com o objetivo de camuflar operações financeiras e omitir receitas, causando prejuízo aos cofres públicos no valor de R$ 8,5 milhões. Como destacou o site Globoesporte em matéria veiculada nesta terça-feira.



Na denúncia, o Ministério Público Federal (MPF) pede ressarcimento pelo dano causado à União, com correção monetária, além da condenação por dano moral coletivo, uma vez que o Estado ficou privado dos recursos necessários para financiar políticas públicas. Além disso, se condenados, os quatro estão sujeitos a pena que varia entre dois e cinco anos de reclusão, podendo ser acrescida em até a metade do prazo fixado, por causa de agravantes caracterizados na denúncia.

Deixe seu comentário