FBF aguarda súmula do árbitro para definir o legítimo resultado do BA-VI

O BA-VI que era para ser da PAZ se tornou o BA-VI da Vergonha

Apesar da CBF relatar em seu regulamento de competições que um time tenha menos de sete atletas em campo, a partida deve ser encerrada com placar de 3 a 0 dado à equipe com mais jogadores no gramado, ainda não sabemos qual será o resultado do BA-VI deste domingo. Afinal, a decisão é total da Federação Bahiana de Futebol e não sabemos o que virá de lá. O jogo terminou aos 34 minutos com o placar de 1 a 1.

De acordo com Ednaldo Rodrigues, que se pronunciou nesta sexta-feira, os casos de violência e as expulsões serão encaminhados ao Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia (TJD-BA). No entanto, a parte de resultado cabe a FBF e só será definida após analisar a súmula do árbitro Jailson Macêdo Freitas, que pelas inúmeras ocorrências ainda não foi finalizado e entregue a entidade.

“O que vai para o tribunal é a parte de infração, a parte disciplinar dos atletas, as possíveis punições aos clubes. A parte de resultado, que é o regulamento, é com a diretoria da Federação. A súmula vai nos balizar. Temos que nos remeter com base no relato do árbitro. Temos que ter um documento que nos paute. Normalmente essa súmula é entregue no dia seguinte, mas, como foi um jogo com mutias ocorrências, o árbitro está demorando um pouco mais. Acredito que lá para as 15h, 16h, devemos ter esse documento em mãos”, disse.

O BA-VI que era para ser da PAZ se tornou o BA-VI da Vergonha. Após confusão generalizada e inúmeras expulsões, cinco delas pelo lado do Vitória, a partida foi finalizada por número insuficiente de atletas do time rubro-negro em campo, algo visivelmente forçado com a atitude do zagueiro Bruno Bispo ao chutar a bola de forma proposital para receber o segundo amarelo e o vermelho.



Deixe seu comentário

3 Trackbacks / Pingbacks

  1. เบอร์มงคล
  2. the
  3. istanbul escort

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*