Marinho no Vitória: De HERÓI a candidato à VILÃO!

A “novela” Marinho segue rendendo panos para manga, a cada capítulo uma novidade, no entanto, nada de uma definição quanto ao futuro e o destino do jogador. Todos imaginavam que o atleta e seu empresário estivessem na China e voltariam de lá com os R$ 17,5 milhões na “bagagem” para finalmente conseguirem efetuar a transferência para o Changchun Yatai. O gerente de futebol do Rubro-Negro, Sinval Vieira, confirmou que o camisa 7 havia viajado à China e para acertar os detalhes e voltaria com o valor da multa em mãos, visto que a última proposta apresentada (de R$ 10 milhões de reais) não agradou e foi rejeitada.

Porém, a verdade verdadeira é que Marinho não viajou para a China, se encontra no Brasil, ainda curtindo as “férias”, mais precisamente em Porto Alegre onde foi flagrado numa barbearia e com amigos jogando uma “pelada”, não atende aos telefonemas e teria se recusado a se reapresentar junto com o elenco do Vitória na segunda-feira, atitudes que vão manchando a boa imagem construída no clube onde foi o principal jogador em 2016 e responsável pela permanência na elite do futebol nacional e vão transformando o atacante de HERÓI a candidato à VILÃO. 

O próprio jogador confirmou de forma irônica nas redes sociais que se encontra no Brasil quando questionado por um torcedor. Marinho não quer continuar no Vitória e teria se chateado com a diretoria do Leão após a mesma recusar duas vezes a oferta recebida de 3 milhões de euros (pouco mais de R$ 10 milhões) dos chineses. O atacante rejeitou a proposta de renovação que incluía um aumento robusto com um salário fora dos padrões do clube. Vale lembrar que na China o camisa 7 receberia algo em torno de R$ 700 à 800 mil de salário por mês livre de impostos. 

Em meio à toda confusão envolvendo a negociação, o empresário Jorge Machado, que faz intermediação da transação para saída de Marinho do Vitória, teve seus direitos caçados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Durante a negociação chegou a ser confirmado que Jorge Machado teria direito a 20% dos direitos econômicos, porém com a nova legislação os empresários de atleta não pode ter percentual de qualquer jogador.

VEJA: